Publicidade
Cotidiano
CASO TRIPLEX

Com voto de revisor, TRF4 já tem maioria para condenar Lula no caso triplex

Para o desembargador Leandro Paulsen, o ex-presidente do Brasil concorreu de forma livre e consciente para o crime de corrupção 24/01/2018 às 14:45 - Atualizado em 24/01/2018 às 14:53
Show 877
Foto: Divulgação
Reuters Porto Alegre

O desembargador Leandro Paulsen, revisor do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do triplex no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), foi o segundo a votar pela condenação do ex-chefe do Executivo.  Paulsen disse nesta quarta-feira (24) que Lula concorreu de forma livre e consciente para o crime de corrupção.

Segundo o magistrado, há elementos de sobra nos autos para mostrar que Lula agiu de modo livre e consciente para manter o esquema de corrupção na Petrobras e que dele se beneficiou. “Não se trata de simples superioridade hierárquica, mas alguém que concorreu para o crime”, disse. “Não se está condenando-o por organização criminosa, mas por crimes concretos e específicos de corrupção”, completou.

Para o desembargador, ficou comprovado o pagamento de vantagens indevidas identificadas pelo Ministério Público Federal. Ele destacou que Lula agiu pessoalmente no esquema, ameaçando substituir os conselheiros da Petrobras se não fossem confirmadas indicações que ele havia feito na estatal.

“O réu (Lula) concorreu por ação e omissão para a prática criminosa”, disse ele, ao citar que indicou os diretores e os manteve, mesmo sabendo que drenaram os cofres da estatal.

Paulsen é o segundo a votar no julgamento do recurso de Lula contra a condenação por corrupção e lavagem de dinheiro imposta pelo juiz federal Sérgio Moro. O relator do caso, desembargador João Pedro Gebran Neto, já votou para manter a condenação de Lula e aumentar a pena para 12 anos e 1 mês de prisão.

Publicidade
Publicidade