Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Notícias

Combate à malária no interior do AM terá aditivo de R$ 5 milhões

Segundo Wilson Alecrim, secretário estadual de saúde, o recurso será repassado ainda neste ano e 19 municípios terão os trabalhos intensificados



1.jpg Regiões do Alto Rio Negro, Alto Solimões e Alto Juruá deverão receber medidas preventivas
27/11/2013 às 18:54

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) conseguiu a liberação de recursos adicionais da ordem de R$ 5 milhões, pelo Ministério da Saúde, para intensificar as ações de combate à malária em 19 municípios localizados nas regiões do Alto Rio Negro, Alto Solimões e Alto Juruá, no interior do Amazonas. A informação foi recebida na manhã desta quarta-feira (27), pelo secretário estadual de saúde, Wilson Alecrim, que foi pessoalmente tratar do assunto em Brasília.

“A autorização para a liberação do recurso foi dada pelo ministro Alexandre Padilha, que aprovou integralmente proposta apresentada pela Susam. O recurso será repassado ainda neste ano, em parcela única e, portanto, as ações de intensificação de combate à doença nos 19 municípios serão iniciadas ainda em dezembro”, informou Alecrim.  



De acordo com o secretário, o plano apresentado ao Ministério da Saúde para assegurar a liberação dos recursos em caráter emergencial havia sido uma recomendação do governador Omar Aziz, para o enfrentamento da malária na região. O plano prevê a ampliação dos postos de diagnóstico e tratamento da malária, a distribuição e instalação de mosquiteiros impregnados com inseticida de longa duração – os chamados MILDs – e, ainda, a realização de termonebulização – mais conhecido como fumacê.

“O resultado que pretendemos atingir, nos próximos 120 dias, é o controle e interrupção do aumento da transmissão da doença nessas três regiões, aproveitando, inclusive, que nesta época temos mais facilidade de navegação e transporte ao longo dos rios e igarapés, onde estão localizadas as comunidades que mais adoecem de malária”, disse Alecrim.  O secretário destacou que também haverá um esforço concentrado, envolvendo as prefeituras dos 19 municípios e suas respectivas secretarias de saúde para interromper a transmissão nas áreas urbanas.

Wilson Alecrim explica que, durante o ano de 2012, em decorrência da grande cheia dos rios, ocorreu um aumento significativo dos casos de malária nos municípios das regiões do Alto Rio Negro, Alto Juruá e Alto Solimões, cuja transmissão foi mantida no decorrer deste ano, apesar de todos os esforços realizados pelas equipes de controle de endemias. Uma análise dos indicadores relativos ao período de janeiro a outubro deste ano mostrou que dos 64 mil casos da doença registrados no Estado, 48 mil ocorreram em 19 municípios dessas três regiões, sendo 30% dessas ocorrências em área indígena. 

Alecrim informou que as ações que serão intensificadas pela Susam, sob a coordenação da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), irão abranger os municípios de Alvarães, Atalaia do Norte, Barcelos, Benjamin Constant, Carauari, Eirunepé, Envira, Ipixuna, Itamarati, Juruá, Jutaí, Lábrea, Pauini, Santo Antonio do Içá, São Gabriel da Cachoeira, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Tapauá e Tefé.

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.