Domingo, 19 de Maio de 2019
Notícias

Combate ao Aedes aegypti ganhará reforço de voluntários em Manaus

Semsa reativa o Ciocs e combate o Aedes aegypti oferecendo treinamentos a brigadas voluntárias de instituições públicas e privadas



1.jpg
O novo centro permitirá a organização de todo o trabalho de combate ao Aedes aegypti que já estão sendo desenvolvidos em Manaus
14/01/2016 às 07:13

Para aumentar a prevenção e o controle da proliferação  do Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, Zika vírus e febre Chikungunya, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) vai capacitar brigadas voluntárias para identificar e destruir criadouros do mosquito. A ação é voltada às empresas, instituições públicas e privadas, escolas, condomínios, entre outros, os quais devem agendar o treinamento para os seus colaboradores por meio da Central do Disque Saúde 08002808280.

A medida foi anunciada ontem, pelo secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão, durante a implementação da nova sede do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (Ciocs), que funcionará na  rua Diamante, conjunto Manauense, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul. Ele afirmou que o treinamento dos brigadistas será feito em uma das salas do local.

“Aqui serão treinadas as brigadas, que nós queremos evidenciar nas escolas, repartições públicas, fábricas e condomínios. O que acontece, nós fazemos visita nas empresas, por exemplo, e quando é detectada uma incorreção o agente de endemias corrige, mas isso, na semana que vem pode aparecer de novo. Então, essa ação de controle tem que ser permanente”, apontou.

Homero disse que a princípio, serão três turmas por dia, mas esse número pode ser ampliado, uma vez que, o treinamento dura em torno de uma hora. “Em uma hora nós conseguimos fazer a pessoa virar um agente de combate ao Aedes no local em que trabalha, onde é mais importante fazer o combate de forma coletiva. É um trabalho voluntário e todo voluntariado é bem-vindo”, ressaltou, ao acrescentar que por meio das ações e conscientização das pessoas dá para minimizar a epidemia na cidade.

Um levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) apontou que as pessoas acometidas com as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti têm entre 25 e 39 anos, sinalizando que podem ter sido infectadas no ambiente de trabalho, uma vez que o mosquito tem hábito diurno. No curso, são abordados assuntos como o ciclo de vida, doenças transmitidas pelo mosquito, locais de proliferação e como eliminá-los.

Durante a entrega do Ciocs, também foi apresentada uma nova aliada no combate químico ao Aedes aegypt, a “MotoFog Fumacê”. Uma tecnologia norte-americana que fará a borrifação de inseticida em áreas onde forem confirmados casos da doença. A ação irá contar com 20 motocicletas e será realizada em até 300 metros da residência e do local de trabalho do paciente, se for o caso.

O diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, informou que todas as ações implantadas na capital amazonense também estão sendo reproduzidas nos municípios do interior do Estado, principalmente, as medidas de controle vetorial do mosquito Aedes aegypti.

Em números

R$ 10 milhões. É o montante previsto para serem aplicados no combate ao Aedes aegypti durante os próximos seis meses, período em que vale o Estado de Emergência decretado pelo prefeito Arthur Neto, em dezembro passado. Desse total, R$ 2,5 milhões foram aportados pelo Ministério da Saúde.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.