Publicidade
Cotidiano
Notícias

Comerciantes e estudantes têm rotina alterada devido a manifestação em Manaus

O comércio do Centro de Manaus deve funcionar até às 16h. A realização de provas em um dos principais centros universitários de Manaus foi suspensa na data da manifestação 18/06/2013 às 19:19
Show 1
Comércio foi orientado a fechar as portas mais cedo, e até uma universidade de Manaus suspendeu as aulas no dia da manifestação
acritica.com Manaus (AM)

O Movimento Pela Melhoria do Sistema Público de Transporte e Redução das Tarifas está agendado para ocorrer nesta quinta-feira (20) em Manaus. Mais de 37 mil pessoas já confirmaram presença nas redes sociais. Para evitar transtornos, o Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL- Manaus) recomendou aos comerciantes que fechem as portas às 16h.

Um dos principais centros universitários de Manaus, o UniNorte, confirmou a suspensão das aulas na no dia da manifestação.

Segundo nota, o Centro Universitário do Norte (UniNorte) comunica que as atividades acadêmicas do dia 20 de junho de 2013 estarão suspensas em todos os turnos em decorrência da manifestação pública que ocorrerá neste dia no Centro da cidade. A instituição informa, ainda, que o Provão apenas do dia 20.06 foi adiado para o dia 21 de junho, nos mesmos locais e horários.

As mudanças no calendário acadêmico foram motivadas pelas solicitações dos alunos e suas representações estudantis, principalmente pela dificuldade que teriam para acessar a instituição com o possível congestionamento do trânsito. A UniNorte entende que, desta maneira, o aluno não sairá prejudicado no dia de uma das avaliações mais importantes do semestre letivo. As atividades voltam ao normal na sexta-feira, 21 de junho de 2013.

Manifestação

A concentração do ato será na Praça da Matriz, às 17h. Entre as reivindicações dos manifestantes está: a redução da passagem para R$ 2,00 e passe livre estudantil; melhoria do transporte público; implantação do Conselho Municipal de Transporte Público com membros da sociedade civil indicada pela população através de consulta popular (com a mesma metodologia utilizada na escolha dos conselheiros tutelares), com poder de fiscalização e acompanhamento dos dados que compõe as planilhas para o cálculo da passagem.

* Confira mais informações na edição impressa do Jornal A Crítica desta quarta-feira (19)

Publicidade
Publicidade