Publicidade
Cotidiano
otimismo na economia

Comércio manauara espera alta de 2,5% nas vendas do Dia das Mães

Entusiasmo dos comerciantes é baseado na tradição de que, depois do Natal, somente o Dia das Mães consegue ser tão favorável. CDL-Manaus espera que a data aqueça os 'corações e o comércio' 14/04/2016 às 03:40 - Atualizado em 14/04/2016 às 09:13
Saadya Jezine Manaus (AM)

A pouco mais de duas semanas para o Dia das Mães, o comércio já começa a preparar promoções e facilidades de pagamento para atrair clientes e compensar a queda no volume de venda que vem acontecendo nos últimos meses.

Segundo a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), a expectativa de crescimento é de 2,5% em comparação ao mesmo período do ano passado, 200 novas contratações e para os clientes uma novidade, parcelamento em até 6x nas compras.

Em 2015, o aumento foi de 4,8% em relação ao ano anterior e mais de 600 novas contratações aconteceram. “Estamos passando por um momento econômico complicado. Fechamos o mês passado (março), em 1% negativo. Mas esperamos que a sensibilidade de uma data como essa, aqueça os corações e o comércio”, destacou o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag.

Os produtos mais vendidos estão previstos para os setores de confecção (28%), calçado (20%), perfumaria (10%), bijuteria (8%) e outros (34%), segundo a CDL-Manaus.

“Eu optei por confecção. Em outros tempos eu compraria uma bolsa, ou perfume, que as chances de errar no tamanho eram menores, mas hoje, vou optar por um vestido, ou sapato. É mais útil. Se não der, tem a opção da troca”, ressaltou a estudante Natasha Alencar.

"O setor de confecção nunca decepciona. Mas nós temos que estar preparados para uma data como essa. Por exemplo, para o dia das mães pedimos coleção nova, facilitamos o pagamento, e com isso, a gente mantém as expectativas positivas até o último momento, mesmo porque sempre tem gente comprando nos últimos minutos”, observou Alírio Lucas, proprietário da loja Vaidosa Modas.

“Ainda não pensei no presente, mas é uma data que com certeza não tem como passar em branco. Vai ter presente, sim”, destacou a pianista Simone Xavier, que nos últimos anos escolheu presentes mais simbólicos. "Praticamente é uma exigência da minha mãe algo que mais material. Ela comenta em tom de brincadeira que eu já deixei de ser criança, e essa é a hora de presenteá-la com alguma coisa que ela vai usar de fato", complementou.

Cenário

Os consequentes declínios no comércio amazonense já estão sendo registrados há meses. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registrou em fevereiro, a décima quinta queda seguida do indicador, iniciada em dezembro de 2014 com -5,1%.

Comparado a outros Estados, o volume de vendas amazonense mensalmente vem se posicionando entre os que apresentam as maiores quedas. Nos dois primeiros meses de 2016 o índice alcançou a segunda maior taxa negativa do País.

Fecomércio: impeachment influencia

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas (Fecomércio-AM), o empresário  por natureza é otimista, mas a conjuntura atual conspira contra a economia". "Se nesta data, o Dia das Mães, conseguirmos um leve crescimento, ficaremos felizes. Se as grandes empresas não estão resistindo à crise e fechando suas portas, imagine o comércio", observou.

"Esses eventos comemorativos são importantes para a economia, sentimos o aquecimento. Depois do Natal, só o Dia das Mães consegue ser tão favorável para comerciantes, acreditamos que pelo apelo da data. E estamos com a impressão que com o resultado do segundo domingo, conseguiremos respirar um pouco e pagar as dívidas. Mas quando falamos de índice, infelizmente não temos como calcular. Não temos precisão porque é incerto esse momento. Enquanto não tivermos uma definição a respeito desse processo que acontecerá no domingo (impeachment), corre o risco das estimativas serem frustradas. Com certeza é algo que influencia diretamente o comércio”, concluiu.

Publicidade
Publicidade