Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
Notícias

Comércio do Amazonas tem o pior novembro dos últimos 15 anos, aponta pesquisa do IBGE

Comparado com o mesmo mês em 2014, o novembro de 2015 apresentou uma queda de 10,7%, mais expressiva que a média nacional, que foi de 7,8%



1.jpg Marechal Deodoro é uma das principais ruas do comércio varejista manauara, na foto em dia de recesso
13/01/2016 às 20:08

O comércio do Amazonas teve o pior novembro dos últimos 15 anos, de acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada esta semana.

Comparado com o mesmo mês em 2014, o novembro de 2015 apresentou uma queda de 10,7%, mais expressiva que a média nacional, que apresentou uma queda de 7,8%.

Variação acumulada

A variação acumulada no ano, que comparou o desempenho do comércio do Estado entre janeiro e novembro de 2015 com o mesmo período de 2014, também apresentou queda, que foi de 7%.

Este número indica 2015 como o pior desde 2003 e o segundo pior desde 2000, quando o IBGE começou a fazer a pesquisa de vendas no varejo. Essa queda também foi maior do que a média nacional, que foi de 4%.

Na média dos Estados

O cenário não se restringe ao Amazonas, com as quedas de 7,8% na variação mensal e 7% na acumulada no ano se mostrando dentro da média apresentada nos Estados.

Na variação mensal, todos os Estados apresentaram queda, exceto Roraima, que aumentou suas vendas em 4%. Por sua vez, Estados como Pernambuco e Rio Grande do Sul tiveram quedas maiores que a do Amazonas (11,8 e 10,9, respectivamente), com o Amapá ficando com o pior desempenho no mês (-27,4%).

Na variação acumulada no ano, Roraima também foi o único que apresentou aumento (8%) e Amapá também ficou por último (-10,9%), com a variação registrada no Amazonas ficando próxima de Estados como Bahia (-7.4%) e Espírito Santo (-7,3%).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.