Publicidade
Cotidiano
TURISMO

Comitiva de empresários viaja à China na tentativa de atrair turistas para a Amazônia

Diretor do Ministério do Turismo anuncia em Manaus esforços conjuntos para atrair turistas asiáticos para a Amazônia 09/05/2018 às 05:02
Show tur
Manaus sedia uma edição da reunião nacional pela primeira vez. Foto: Euzivaldo Queiroz
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Que o Amazonas é uma das maiores potências turísticas do mundo ninguém tem dúvidas. Ao longo dos anos, a exploração desse potencial tem sido lenta pela falta de capacidade ou de vontade política do poder público em todos os âmbitos. Mas, pela primeira vez o Ministério do Turismo (MTur) direcionou uma das edições (a 29ª) da Reunião Nacional dos Interlocutores Estaduais do Programa de Regionalização do Turismo (PRT) para Manaus. O encontro, que começou nessa segunda-feira (8), no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques, e só termina na sexta-feira (11), reúne 27 interlocutores, representando todos os estados do País. 

E a primeira boa notícia é que o turismo na região está na rota de interesses da China. O diretor do Departamento de Ordenamento do Turismo do MTur, Rogério Cóser (foto abaixo), anunciou que, a convite do governo chinês, uma comitiva de empresários de turismo irá a Pequim, no fim de maio, para tentar atrair turistas asiáticos para a Amazônia.

“Com essa imensidão de riquezas turísticas que temos, e os asiáticos ávidos a fazer turismo diferente do convencional, nada como investir. Os asiáticos fazem um turismo diferente: eles preferem museus, arqueologia etc, e menos sol e mar”, disse Cóser, destacando os diferenciais da Amazônia para esse público.


 

Antes de ampliar o mercado, a intenção é investir numa rede hoteleira que garanta conforto e segurança, exigências prioritárias dos asiáticos. “São turistas que estarão vindo de um mundo diferente e que precisam ter uma recepção de acordo com a cultura deles. Para atraí-los temos que oferecer o que  eles gostam”, ressaltou o diretor.

Planejamento

O objetivo do encontro é aprimorar a articulação com as unidades da Federação e promover o intercâmbio de atividades, como a atualização do Mapa do Turismo Brasileiro, a categorização de municípios, a criação de conselhos municipais de turismo e o fortalecimento das instâncias de governança regional.

“Fazer turismo hoje é uma dificuldade muito grande porque os orçamentos estaduais e municipais são mínimos. E falar em turismo onde falta remédio, educação e segurança é a mesma coisa que nada. Temos que encarar o turismo como algo que gera cinquenta e duas outras atividades comerciais”, observou  Cóser.

“Tudo o que a gente decide são os interlocutores que aplicam nos estados. A regionalização é, inclusive, uma política pública elogiada pelo Tribunal de Contas da União e o Senado Federal”,  ressaltou o representante do MTur.

Os resultados do encontro vão nortear o desenvolvimento de ações no setor nos próximos dois anos. Um novo encontro entre o grupo e técnicos do Ministério do Turismo ocorrerá no segundo semestre deste ano.

Regionalização

Construído a partir de oficinas participativas, o Programa de Regionalização do Turismo (PRT) define diretrizes para orientar sua implementação, tendo como metas a estruturação de destinos, a qualificação e a diversificação da oferta turística do País.

Estreitando as relações

O encontro é promovido em parceria com a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), cujo presidente, Orsine Junior, comemorou a escolha de Manaus como sede da reunião, que será um instrumento de divulgação do turismo regional.

“Estamos felizes por, mais uma vez, estarmos na rota de um evento importante do cenário nacional. Vamos estreitar ainda mais o relacionamento com o ministério, além de ouvir experiências dos outros estados”, destacou Orsine.

“Vamos fazer uma visita aos flutuantes, ao lago do Catalão e a outros locais onde estamos desenvolvendo o turismo regionalizado no Amazonas. Temos atuação em vários municípios, dentre eles Presidente Figueiredo, Novo Airão, Iranduba e outros”, disse.

Importância do Turismo

"Hoje, uma emenda parlamentar destinada a um município só passa pelo Ministério do Turismo se o município estiver em dias com três critérios: ter uma secretaria turística, ter dotação orçamentária para turismo e comprovar isso na Lei Orçamentária Anual (LOA). Provavelmente, desse encontro sairá mais um critério para o mapa de regionalização do turismo amazonense. A regionalização é uma espécie de laboratório para que as demandas cheguem ao Governo Federal e ele aplique o dinheiro onde realmente seja necessário", explica o diretor do Departamento de Ordenamento do Turismo do MTur, Rogério Cóser.

"Fazer turismo hoje é uma dificuldade muito grande porque os orçamentos estaduais e municipais são mínimos. E falar em turismo onde falta remédio, educação e segurança é a mesma coisa que nada.", completa.

Publicidade
Publicidade