Publicidade
Cotidiano
INTERCÂMBIO COMERCIAL

Em busca de novos ares, empresários apostam em abertura de empresas nos EUA

Saiba quais são os riscos e oportunidades ao se investir na América, que atrai cada vez mais brasileiros sonhadores 28/07/2018 às 16:23 - Atualizado em 30/07/2018 às 09:14
Show miami 1635943
A Flórida, paraíso de terra e mar, atrai milhões de brasileiros turistas que se encantam pelo ‘American Way Life’ (Pixabay)
Karol Rocha Manaus (AM)

De olho na crise econômica que assola o país pelos altos índices de inflação, juros e, ainda, a burocracia para se formalizar um negócio, empresas brasileiras de diversos ramos têm cada vez mais investido em novos ares. Esse lugar de ‘esperança’ é os Estados Unidos, mais especificamente na Flórida.

Quem nem imaginava que podia abrir uma filial nos EUA, era a paulistana Mônica Schimenes, de 44 anos, fundadora e CEO da MCM Brand Group. A empresa dela atua há 20 anos no mercado de comunicação integrada e gerenciamento de marketing nacional e internacional desde 2016, tendo aberto o CNPJ local em janeiro de 2017.

“Entendi que ter um escritório funcionando nos Estados Unidos era uma grande oportunidade de crescimento da minha empresa no Brasil. Conheci o programa Select USA do governo americano e vi que abrir uma filial lá fora seria possível”, comenta a empresária, sobre o processo de internacionalização.

Há possibilidades de pequenos empreendedores investirem nos Estados Unidos, basta que o produto ou serviço tenha diferenciais. Segundo Shimenes, o primeiro passo é investir em pesquisa de mercado e desenvolvimento da oferta, depois, escolher qual a região dos EUA o investidor deve se fixar.

“Há alguns grandes desafios, mas o primeiro e maior deles é entender se o produto ou serviço que você tem a oferecer pode ser absorvido pelo mercado americano. Esse tempo de pesquisa é lento, gasta-se tempo e dinheiro, mas sem isso não vale a pena iniciar o investimento”, aconselha ela.

Assessoramento

Os empresários que pretendem internacionalizar seus investimentos podem contar com a ajuda de empresas que fazem o assessoramento, como é o caso da Oxford Group. Segundo o Diretor Geral da Oxford Group, Carlo Barbiere, ao decidir abrir um negócio nos EUA é preciso verificar uma empresa de consultoria sólida e séria que possa orientá-lo longe das especulações e promessas surreais.

“Um empresário pode abrir uma empresa nos EUA, sem precisar ser residente. A forma de abertura é muito rápida e pode ser feita, inclusive por internet. A etapa mais importante é sempre contar com a orientação especializada neste processo de abertura e consolidação do negócio aqui nos EUA para evitar prejuízos”, explica.

Barbiere ressalta que os brasileiros têm investido de forma muito diversificada. “Restaurantes, construção, alimentos, serviços em geral, medicina, finanças, etc. Dependendo o tipo de negócio e por uma questão de logística existem muitas empresas de brasileiros se estabelecendo em outros estados americanos, mas não menos do que 8% se estabelecem na Florida”, conta.

Frase

"A Flórida atingiu o invejável PIB de um trilhão de dólares. É um estado que deverá aumentar sua população em cerca de seis milhões  nos próximos anos". Carlo Barbiere - Diretor Geral da Oxford Group

Números

400 mil brasileiros vivem na Flórida, conforme dados do consulado brasileiro em Miami. Já o número de empresas brasileiras chega a 30 mil de pequeno ao mais alto porte, instalados nos Estados Unidos da América.

Publicidade
Publicidade