Sábado, 31 de Outubro de 2020
Notícias

Companhias aéreas ampliam frequência de voos para período da Copa do Mundo de 2014

Serão 500 aviões no ar durante e 7,2 mil assentos disponibilizados durante todo o período da competição, informou a Associação Brasileira das Empresas Aéreas



1.jpg Cerca de 500 aviões estarão no ar durante a Copa
23/05/2014 às 10:28

As companhias aéreas brasileiras (TAM, Gol e Avianca) terão 67 mil voos para atender a forte demanda para as cidades-sedes da Copa do Mundo. Serão 500 aviões no ar durante e 7,2 mil assentos disponibilizados durante todo o período da competição, informou ontem a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Para Manaus, a TAM aumentou sua freequência de de 13 para 15 voos.

A 20 dias do início da copa e com muitas obras ainda em andamento nos aeroportos, o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, disse esperar que a capacidade dos terminais seja suficiente para atender ao aumento de 31% no volume de operações em relação a malha aérea regular.



“As companhias vêm trabalhando em conjunto com autoridades e empresas do setor para que as mudanças nos terminais estejam concluídas dentro dos prazos determinados. Esperamos que na Copa a capacidade dos aeroportos seja plena para garantir o bom andamento do evento”, afirmou Sanovicz, durante entrevista na sede da entidade.

As empresas anteciparam a manutenção das aeronaves e remanejaram o cronograma de férias das tripulações e equipes de solo para garantir as escalas de trabalhos completas entre junho e julho. Além disso, realocaram funcionários para as regiões onde a demanda será maior e contrataram 2 mil pessoas para atender o aumento da demanda na Copa.

Além das obras e do início de operações dos novos aeroportos, as aéreas também estão preocupadas com às questões climáticas comuns no inverno e que atingem pousos e decolagens dos terminais do Sul do país.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.