Publicidade
Cotidiano
Notícias

Compartilhamento da pista entre carros e bicicletas ainda é desafio na Ponte Rio Negro e no entorno

Placas de sinalização alertando para compartilhamento da rodovia entre veículos e ciclistas não bastaram para conscientizar motoristas, que abusam da velocidade. Bancas irregulares são obstáculo no acostamento 21/02/2016 às 20:10
Show 1
O desafio maior: o respeito no trânsito, o respeito à vida
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Embora aparentemente o problema de iluminação tenha melhorado no entorno da ponte Rio Negro, as reclamações de ciclistas e pedestres que utilizam um dos principais cartões-postais da cidade para a prática de exercícios físicos continuam.  No dia 1º de fevereiro, dois homens foram presos pela polícia após serem flagrados roubando fios elétricos da ponte, entretanto, os perigos ali instalados vão além da escuridão durante a noite.

Na falta de ciclovias pela cidade, para quem deseja pedalar, caminhar ou simplesmente passear pelo local, a atenção precisa estar redobrada em todos os momentos. Nem as placas alertando sobre a presença das ‘bikes’ na rodovia AM-070 conseguem garantir segurança aos ciclistas, que precisam optar entre dividir a pista com veículos - que chegam a atingir 120 km/h - ou disputar espaço no acostamento com barracas e dezenas de carros estacionados.

Praticante da modalidade, o engenheiro Rogério Lopes, 36, afirma que a falta de fiscalização no entorno da via causa risco pela ocupação desenfreada de ambulantes e veículos estacionados irregularmente. “Acostamento é diferente de estacionamento. Ele não é feito para o carro ficar lá estacionado enquanto a pessoa sai para pescar”, afirmou.

Rogério também relembrou o caso que culminou na morte do triatleta Eldes Ayres de Oliveira Júnior, no dia 31 do mês passado. “No acidente do Eudes ele estava andando no acostamento. O cara (Ronaldo) dormiu e ‘pegou’ ele no acostamento. Mas a probabilidade do cara atingir a gente na pista é muito maior do que aqui (acostamento). Falta fiscalização, iluminação e consciência dos motoristas”, declarou.

A escuridão, inclusive, é algo que ainda não foi solucionado na visão do empresário Rafael Louro, 34. “Tem trechos de 500 metros em que os postes não funcionam e acabam se tornando perigosos. Mesmo quem tem acessórios de iluminação, como pisca dianteiro e luz traseira, acaba ficando a mercê dos motoristas. A gente reza pra Deus nos proteger nessas horas, não tem muito o que fazer”, lamentou.

Policiamento

As críticas sobre o entorno da ponte Rio Negro não se restringem apenas ao trânsito e aos ciclistas. O policiamento na área, segundo alguns populares, deixa a desejar e estimula a pratica de crimes como assaltos. O funcionário público Willian Brandão, 30, caminhava pela primeira vez na ponte. Ele escolheu se exercitar no horário da tarde pelos comentários negativos em relação à segurança.

“Meu pai mora em Iranduba e falou que à noite fica bastante perigoso, tanto para assaltos e em relação a risco de acidentes. Acredito que melhorar a segurança, tendo mais policiais aqui, seria o ideal. Até a questão da fiscalização na barreira. Às vezes eu canso de passar aqui e não tem ninguém fiscalizando os carros”, disse ele.

Sinalização alerta motorista para os cuidados

Para conscientizar a população e motoristas sobre a utilização da rodovia como local de treinos, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) promoveu, no último domingo, uma ação de sinalização na área da ponte Rio Negro. 

Na ocasião, o órgão fixou cinco placas entre a ponte e o início da AM-070, a fim de reforçar o cuidado que os veículos maiores, como caminhões ônibus e carros, precisam ter com os mais vulneráveis, como motociclistas, ciclistas e pedestres.

Foto: Euzivaldo Queiroz

Durante o ato, foram entregues mais de 2 mil garrafas de água e um informativo sobre o compartilhamento da via entre veículos e bicicletas, alertando que a distância de segurança é de 1,5 metro. Vários grupos de modais também participaram da ação de conscientização, entre eles o Pedala Manaus!. Adesivos e folhetos também foram distribuídos aos motoristas que passavam pelo local.

O presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, informou na ocasião que as ações de sinalização e fiscalização serão reforçadas na rodovia AM-070. 

Blog: Antônio Neto

Presidente da Fed. de Triathlon do AM

"Essa ação começou fazendo alguma sinalização, porém tem muito a melhorar. Estamos conversando com o Detran questão de pinturas no asfalto, mas não sei como funciona a questão legal disso. Por lei, temos direito de andar na pista, mas o acostamento daquela área é primordial, só que está tomado por carros e bancas de frutas e peixes. Temos falado com o Detran sobre a instalação de placas e algumas podem ficar, também, na avenida do Turismo e estrada da Ponta Negra. Apesar disso tudo, a responsabilidade maior está na conscientização dos motoristas. A mensagem principal é para eles”.

Em números

R$ 200 mil - Esse foi o valor do prejuízo causado por  roubos de fios elétricos da ponte Rio Negro só no mês de janeiro deste ano. No dia 2 de fevereiro, dois homens foram presos furtando fios da ponte.

10,5 km - Essa é a extensão da malha viária de ciclovias de Manaus atualmente, somando trechos de ida e volta. São 2,3km na área do Boulevard (4,5 km total) e 3 km (6 km ida e volta) na avenida Natan Xavier, bairro Novo Aleixo, segundo a prefeitura.

Publicidade
Publicidade