Publicidade
Cotidiano
Notícias

Comunidades do interior do AM querem virar município

Levantamento foi realizado pela ALE. Na terça-feira, a Câmara Federal vota projeto sobre criação de municípios 18/05/2013 às 09:38
Show 1
Moradores de Santo Antônio do Matupi, em Manicoré, participaram de reuniões em 2010 para criação do município
kleiton renzo ---

Pelo menos 14 comunidades do interior do Amazonas esperam pela aprovação na Câmara dos Deputados do projeto de lei complementar nº 416/2008, na próxima terça-feira (21). O projeto devolve para as Assembleias Legislativas o poder de criar novos municípios. Essas comunidades pretendem pedir dos deputados a realização de plebiscito para saírem da condição de comunidades rurais e tornarem-se municípios.

De acordo com o presidente da Comissão de Assuntos Municipais (CAM), deputado estadual Tony Medeiros (PSL), o relatório preliminar de viabilidade econômica feito pela CAM, aponta como pleiteantes ao status de município as comunidades de Novo Remanso, em Itacoatiara; Santo Antônio do Matupi, em Manicoré; Aviana, em Beruri; Campina do Norte, em Caapiranga, Balbina, em Presidente Figueiredo, Purupuru, no  Carairo Castanho, Itapeaçu, em Urucurituba,  Vila Amazônia, Mocambo e Caburi, em Parintins; Pedras e Cametá, em Barreirinha, Cacau-Pirêra, em Iranduba e o bairro Colônia Antônio Aleixo, em Manaus.

“É um estudo preliminar porque qualquer comunidade que se enquadrar nos pré-requisitos da lei poderá requerer a condição de município. No Amazonas é possível que mais comunidades tenham esse desejo”, comentou Medeiros.

Em 2010 a ALE-AM tinha uma lista de 28 comunidades que manifestaram desejo de se tornarem municípios. A relação foi feita depois que o então deputado Eron Bezerra (PCdoB) realizou audiências públicas pelo interior e identificou (além das comunidades já citadas): Auatiparaná, Augusto Montenegro, Auxiliadora, Axinin, Belém do Solimões, Bittencourt, Caiambé, Camaruã, Canumã, Campina do Norte, Caviana, Iauaretê, Piranga-Juí, Janauacá, Matupi, Messejana do Norte, Moura, Murituba, Osório da Fonseca, Rosarinho, Sacambu e Tuiué.

Tony Medeiros disse que viaja na próxima semana para Brasília para acompanhar a votação do projeto. O deputado informou que a expectativa da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) é que o projeto não seja engavetado novamente. “É uma luta de mais de 17 anos para que os municípios sejam reconhecidos. Existe um consenso entre os deputados federais pela aprovação”, disse.

Publicidade
Publicidade