Publicidade
Cotidiano
TRADIÇÃO

Conheça os detalhes do 24º Festival do Peixe Ornamental de Barcelos

Acará-Disco e Cardinal vão disputar o título de "Rei das Águas" entre os dias 25 e 28 de janeiro. Prefeitura espera atrair 5 mil vistantes para evento 21/01/2018 às 15:01
Show barcelos
Além da disputa entre ‘Cardinal’ e ‘Acará-Disco’, as praias são atração de Barcelos. Foto: Márcio Silva
Juan Costa Manaus (AM)

Dois peixes disputam o título de “Rei das Águas”. Um é amarelinho com listras pretas, o Acará-Disco, e o outro, azul com listas vermelhas, é o Cardinal. Os dois se enfrentam todos os anos no Festival do Peixe Ornamental de Barcelos, município distante quase 500 quilômetros de Manaus. Este ano, a 24º edição do festival acontece entre os dias 25 e 28 de janeiro, no Centro Cultural e Esportivo Mariuá, mais conhecido como “piabódromo”.

O festival já foi o segundo maior evento do calendário turístico do Amazonas e busca atrair ainda mais visitantes. Temas focados na Amazônia, na biodiversidade e na vida ribeirinha sempre estão presentes nas apresentações dos dois peixes. O Acará-Disco em 2018 traz o tema “Encontro de Xamãs”.

De acordo com o responsável pela concepção do tema do peixe amarelo e preto, Hamilton Ugarte, será apresentado no piabódromo a preocupação dos nativos da Amazônia. 

“O tema se baseou em uma carta escrita durante um encontro de Xamãs de tribos da Amazônia. Nesse encontro foram discutidas questões relacionadas à depredação da Amazônia por meio de garimpos, desmatamento, uso de agrotóxicos, ataques à fauna e à flora, dentre outros. Esse encontro também gerou um documento de intenções para que fossem enviadas às grandes reuniões climáticas e ambientais do mundo”, explica Ugarte.

Em busca do tri

Já o Cardinal tenta o tricampeonato com tema “Ethos Cabloco”. Segundo o responsável pela criação e concepção do tema do peixe vermelho e azul, Josias Benfica, a inspiração para a apresentação de 2018 veio do livro “Ethos e Figurações na Hinterlândia Amazônica” de Gláucio Campos Matos. O livro aborda as práticas da agricultura, da caça, da pesca, mas também dos grupos sociais, das pessoas, de suas histórias, dos seus cantos, contos e encantos.

“Mostraremos a construção da identidade do homem amazônico, observando o resultado do contato interétnico que gerou essa figura emblemática da região, acentuando o seu ethos (modo de vida): pescador piabeiro, piaçabeiro, castanheiro, vendedor de açaí, madeireiro, guia de pesca, entre outros. Aqui salientaremos a interação entre homem e natureza, destacando o rio e a floresta como norteadores dessa relação e as novas redes de interdependências ampliadas”, explica Benfica.

Prefeitura espera 5 mil visitantes

Segundo prefeito de Barcelos, Edson Mendes, a cidade está recebendo alguns reparos para receber um público de quase 5 mil pessoas. Mendes ainda frisa que a rede de hospedagens na cidade foi incentivada, com a abertura de novos hotéis. Atrações nacionais e regionais, como Léo Magalhães e Chrigor, estão confirmadas. Exposição, feiras de artesanato, visita às praias e arquipélagos e pesca esportiva são opções para os visitantes.

COMO CHEGAR

Barco regional

Com o custo de aproximadamente 80 reais, a passagem pode ser comprada no porto do São Raimundo. A viagem dura em média 32 horas pelo rio Negro e passa pelos arquipélagos de Anavilhanas e de Mariuá.

Lancha

Também conhecido como “a jato”, a viagem dura em torno de 12 horas e custa cerca de 120 reais. As passagens podem ser compradas também no porto de São Raimundo.

Avião

Maneira mais cara de chegar a Barcelos, entretanto, mais rápida. A viagem dura cerca de 1h

Publicidade
Publicidade