Publicidade
Cotidiano
SUFRAMA

Suframa aprova 41 projetos industriais e de serviços ao custo de US$ 1,6 bilhões

Desse valor, US$ 178 milhões são em investimentos fixos. Criação de 362 novos postos de emprego em três anos também estava na pauta aprovada 17/12/2015 às 14:10 - Atualizado em 17/12/2015 às 14:14
Show 20151217100706
Reunião do CAS, Conselho de Administração da Suframa (Saadya Jezine)
reporter1

A 271ª reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS) aprovou os 41 projetos industriais e de serviços contidos na pauta do terceiro e último encontro do conselho realizado este ano. O investimento previsto é de aproximadamente US$ 1,6 bilhão, onde US$ 178 milhões correspondem a investimentos fixos. A criação de 362 novos postos de emprego em 3 anos também esteve na pauta aprovada no auditório da autarquia na manhã dessa quinta-feira (17).

Depois de ser criticado por muitos parlamentares e representantes da região pela ausência constante nas reuniões do CAS, o ministro do Desenvolvimento e Comércio Exterior, Armando Monteiro, de forma inédita veio ao estado para presidir o conselho. "Antes tarde do que nunca", abriu o pronunciamento do presidente da do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM), Wilson Périco, se referindo a primeira vez do Ministro em Manaus. Outras autoridades como o prefeito de Manaus Artur Neto, representante do governo do estado do Amazonas, Henrique Oliveira, e a superintendente atual da autarquia, Rebecca Garcia estiverem compondo a mesa.

A superintendente destacou que o CAS encerra o ano de maneira positiva "Fechamos 2015 com 70% a mais de projetos aprovados em relação ao ano de 2014.  É uma vitória não só para o amazonas, mas para todo o Brasil que é importante dar boas notícias sobre a indústria", enfatizou. A próxima reunião, prevista para acontecer dia 26 de fevereiro do próximo ano, será transmitida para todo o país de maneira on-line, segundo Rebecca Garcia.

Impasses

Gargalos presentes na superintendência desde 2002, foram o foco do encontro. Henrique Oliveira pontualmente, enfatizou os problemas da ausência de personalidade jurídica do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) e o reajuste salarial dos servidores. "Sabemos da boa vontade da presidente Dilma, de parlamentares, mas há forças ocultas em Brasília que não tem a mesma determinação e comprometimento pra solucionar os impasses da Zona Franca. É mais, que dificultam esse processo. Temos que identificar quem são esses cânceres da economia brasileira", afirmou o representante.

Encaminhamentos

O Ministro se comprometeu em encaminhar uma proposta, incluindo planilhas contendo o reajuste salarial dos servidores até o próximo ano. "Até 2019 eles receberão o reajuste de até 100%", afirmou. Além disso, o ministro propôs a elaboração de um contrato para construir indicadores com metas e objetivos da autarquia - que fará parte do planejamento estratégico. O objetivo desses encaminhamentos é fortalecer o plano nacional de exportação e substituição competitiva de importações.

Quanto a personalidade jurídica do do CBA, o Ministro afirmou que a melhor opção é a forma de Organização Social (OS). Rebecca Garcia destacou que até final de fevereiro, essa proposta deve estar solucionada. Com relação aos PPB's, ele encaminhou a resposta dos 11 prioritários que a superintendente havia solicitado.

Projetos

O segmento dos condicionadores de ar foi reforçado com dois projetos de destaque, um da Samsung, com investimento superior a US$ 351 milhões e 73 novos empregos e a empresa Robertshaw, que através da ampliação da sua fábrica, propõe o investimento aproximado de US$ 2 milhões e geração de 74 novos empregos. A pauta contempla ainda, investimentos que beneficiarão segmentos de eletroeletrônicos e condicionadores de ar, fabricarão de lâmpadas LED, e urnas eletrônicas de voto.

Publicidade
Publicidade