Domingo, 22 de Setembro de 2019
SAÚDE INFANTIL

Consumo de sucos durante o primeiro ano do bebê pode favorecer a obesidade

Médicos explicam os efeitos que os sucos, inclusive os naturais, podem ter no organismo da criança



1248791.jpg Água deve ser a principal fonte de hidratação das crianças, dizem os especialistas
16/07/2017 às 19:05

Quando se fala em alimentação do bebê, nem tudo que é natural necessariamente é benéfico. Os sucos talvez sejam o melhor exemplo disso. Instituições médicas como a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) há algum tempo desaconselham a introdução do suco natural na dieta dos pequenos – pelo menos até o primeiro ano de vida.

“O suco de frutas sempre foi muito usado como alimento de escolha na introdução alimentar dos bebês porque era considerado fonte de vitamina C, fonte extra de água e até como enganosa fonte de fibras. Recentemente, ele passou de mocinho a vilão graças às evidências científicas sobre seus malefícios”, explica a pediatra Denise Lellis, do Departamento de Obesidade Infantil da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso).

Segundo ela, estudos recentes revelaram que o alto teor de frutose (açúcar presente nas frutas) presente no suco natural pode estar relacionado a alterações metabólicas, cáries dentárias e obesidade no futuro. “Por mais saudável que a fruta seja, ela também é calórica. Então, se normalmente a criança consumiria uma laranja in natura, no suco ela consome três ou mais, e isso vira gordura”, completa a Dra. Virgínia Weffort, do Departamento Científico de Nutrologia da SBP.

Diante dessas evidências, a recomendação é clara: até um ano de idade, apenas frutas e nada de sucos (incluindo os naturais). “Refrigerante, nem se fala. O que temos observado é que as crianças não tomam água, que é o que mata a sede e ajuda o metabolismo interno a absorver o que é necessário para o organismo. No lanche da escola, o suco pode facilmente ser substituído pela água”, completa Virgínia.

Impacto na dieta

A Dra. Denise Lellis conta que o excesso de suco na fase inicial da vida também pode prejudicar a aceitação da fruta in natura, uma vez que a criança vai preferir a facilidade do suco. “Além disso, a chance de o suco natural ser substituído por suco de caixinha no futuro é muito grande e esse sim é considerado proibido para crianças por ser riquíssimo em açúcar e corantes”, diz.

De acordo com o Dr. Fabrício Mattos, especialista em Medicina da Família pela Uerj, outra desvantagem dos sucos é a perda de fibras e nutrientes no processo de extração do sumo das frutas. Ele também lembra que até os seis meses o leite materno (ou fórmula de leite infantil, a depende do caso) deve ser o alimento exclusivo da criança.

“A partir do sexto mês de vida, as sociedades de pediatria recomendam a introdução de frutas na alimentação do bebê no formato de papas. A papa de frutas possui maior densidade energética por volume e melhor qualidade nutricional devido às suas fibras”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.