Publicidade
Cotidiano
paralisação total

Contra a PEC 241, técnicos da Ufam deflagram greve a partir do dia 31

Na avaliação dos servidores grevistas, PEC 241 é um duro golpe na manutenção da universidade pública e de qualidade 25/10/2016 às 16:36
Show img 2188
Assembleia foi realizada no Bosque da Resistência, no Campus Universitário (Foto: Divulgação)
acritica.com*

Os técnico-administrativos em educação da UFAM (Universidade Federal do Amazonas)aprovaram à proposta de deflagração de greve por tempo indeterminado a partir do dia 31 (segunda-feira) deste mês, quando será realizada a primeira assembleia de greve para formação do Comando de Greve e deliberar as primeiras ações do movimento. O local e horário ainda serão anunciados, até a próxima quinta-feira (27), pela coordenação do Sintesam.

A decisão foi tomada pela categoria em assembleia geral ordinária realizada pelo Sintesam (Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas), na manhã desta terça-feira (25), no Bosque da Resistência, na entrada do Campus Universitário. A categoria também realizou uma panfletagem e um café da manhã, no local, antes do início da assembleia.

A greve é uma orientação nacional da Fasubra Sindical em protesto ao Projeto de Emenda Constitucional (PEC 241), que impõe o limite dos gastos públicos de acordo com a inflação do ano anterior pelos próximos 20 anos.  Na avaliação da categoria, trata-se do corte de investimentos públicos em áreas vitais como saúde, educação e segurança, que já apresentam graves deficiências de atendimento à sociedade. A greve permanecerá até o desfecho de tramitação da proposta no Congresso Nacional - hoje a PEC será votada em segundo turno.  “Não se trata de uma luta somente por salários, mas pelas nossas vidas e manutenção da universidade pública e de qualidade”, destacou o coordenador geral do Sintesam, Carlos Almeida.

 Após as manifestações dos inscritos foi posto em votação a deflagração da greve por tempo indeterminado. A proposta foi aprovada pela expressiva maioria dos presentes, tendo apenas uma abstenção. Os encaminhamentos foram que o dia de hoje será de paralisação, sendo cumprida a programação do dia com um ato público às 16 horas na Bola do Produtor no bairro Jorge Teixeira, articulado pela Frente de Lutas “Fora Temer”Manaus – Contra os ataques e em defesa dos direitos, com panfletagem e palavras de ordem dirigidas à população.

*Com informações de assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade