Publicidade
Cotidiano
homenagem

Corpo de Bombeiros comemora 140 anos salvando vidas no Amazonas

Corporação é a segunda mais antiga do País e desenvolve trabalhos que vão muito além do combate aos incêndios 16/07/2016 às 20:02 - Atualizado em 16/07/2016 às 23:59
Show corpo de bombeiros am
Atualmente, a instituição possui 712 homens para atender a capital e todo o estado. (Evandro Seixas)
Kelly Melo Manaus (AM)

Após 12 anos de serviços prestados, o soldado bombeiro Aurélio Maciel, 40, ainda tem disposição para encarar as ocorrências do dia a dia. Diferente do que muitos pensam, ele não se considera o “herói da vida real”, mas destacou que salvar vidas é o principal objetivo da sua profissão. “Não me sinto um herói, mas sempre que volto de uma ocorrência, volto satisfeito, com o sentimento dever cumprido e sou muito feliz por fazer parte dessa história”, destacou ele. 

São histórias como a de Aurélio que fizeram o  Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM) completar neste ano 140 anos de fundação, sendo o segundo mais antigo do País. E assim como o soldado Aurélio, todo bombeiro tem um história de salvamento para contar e guardar na memória. 

“Um dos momentos que mais me marcaram foi um incêndio de grandes proporções na antiga loja Esplanada, no Centro, em 2010. Era meu aniversário e o comandante havia me liberado para ir para casa. Mas ouvi  na rede-rádio o que estava acontecendo e decidi ficar e acompanhar a guarnição para combater as chamas”, lembrou o soldado, dentre tantos outros episódios que lhe marcaram na vida. 

De acordo com o Comandante-Geral dos Bombeiros, Fernando Sérgio Luz, é com essa bravura que todos os dias os militares chegam em seus quartéis para ficarem “a postos” para atender qualquer ocorrência. No entanto, toda a força de vontade empregada em cada missão não esconde as necessidade que a corporação enfrenta diariamente. Já são 12 anos sem a realização de um concurso público, numa corporação que encara um déficit grande de profissionais: atualmente são apenas 712 homem para atender todo o Estado.  “É um efetivo muito pequeno, mas o nosso pessoal é bem treinado e estamos bem equipados. Também trabalhamos formando brigadistas para auxiliar nos municípios e isso ajuda bastante”, destacou o comandante. 

Desafio

Embora a instituição atravesse um período difícil, devido ter um efetivo reduzido, o Fernando Luz destacou que o Corpo de Bombeiros do Amazonas tem conseguido resultados importantes. Um deles foi conquistado neste ano, quando a corporação passou a assumir a primeira escola militar do CBMAM, a escola estadual José Carlos Mestrinho, no bairro Crespo, na Zona Sul. “Quando recebemos a escola, ela estava desacreditada. Havia apenas 260 alunos matriculados. Mas quando os pais souberam que íamos administrá-la, passaram a acreditar no projeto e hoje temos mais de 450 alunos. A nossa missão é além do ensino, levar o respeito e disciplina para as salas de aula”, afirmou. A escola atende crianças do 1º ao 9º ano e tem a proposta de ser uma escola bilíngue de Francês. Para 2017, a meta é implementar o Ensino Médio e Técnico para a formação de bombeiros civis. 

Atuação vai além dos incêndios

Criado em 1876, pela  portaria  268, assinada pelo então 1º Vice-Presidente da Província, Capitão de Mar e Guerra Nuno Alves Pereira de Mello Cardoso, o Corpo de Bombeiros iniciou como Serviço de Extinção de Incêndios. O Serviço de Extinção de Incêndios era realizado pela Companhia de Bombeiros, sendo seu primeiro Comandante o Coronel de Engenheiros Joaquim Leovegildo de Souza Coêlho.
Em 1908, o governador Antônio Clemente Ribeiro Bittencourt, coronel da Guarda Nacional, em acordo com o Superintendente da Capital, transferiu pela primeira vez o Corpo de Bombeiros ao município de Manaus, através do Decreto Municipal nº 18/1908.

A partir de então, em várias ocasiões o Corpo de Bombeiros ficou sob a administração da Prefeitura ou do Estado do Amazonas, quando finalmente, em 1972, através do Decreto 2426, que reestruturou a força militar estadual, o Corpo de Bombeiros retornou para a administração Estadual, ficando subordinado à Policia Militar do Amazonas. Depois de 26 anos de subordinação à PM, a corporação ganhou sua autonomia administrativa em 1998. 

Estrutura pequena

Atualmente, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) é comandado pelo coronel Fernando Sérgio Austregésilo Luz.  A corporação possui oito postos de atendimento na capital e sete no interior (Manacapuru, Parintins, Itacoatiara, Tefé, Tabatinga, Iranduba e Rio Preto da Eva). Ao todo, são 712 homens, 81 viaturas e 10 embarcações. 

Publicidade
Publicidade