Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Notícias

Corregedoria Nacional inicia inspeção no TJ- AM e no Tribunal Regional do Trabalho

A equipe do CNJ vai inspecionar na Justiça estadual os setores administrativos da instituição e esferas judiciais de 1º e 2º Graus, até sexta-feira (24)



1.gif A abertura oficial foi realizada no Plenário Desembargador Ataliba David Antônio, na sede do TJAM
21/05/2013 às 11:31

As observações do relatório de inspeção da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realizadas em julho de 2011, começaram a ser revisadas nessa segunda-feira (20) no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região. A equipe do CNJ vai inspecionar na Justiça estadual os setores administrativos da instituição e esferas judiciais de 1º e 2º Graus, até sexta-feira (24).

A abertura oficial, no Plenário Desembargador Ataliba David Antônio, na sede do TJAM, teve a presença do corregedor nacional, ministro Francisco Falcão, dos presidentes e vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargadores Ari Jorge Moutinho da Costa e Rafael de Araújo Romano, entre outros magistrados do Amazonas.

Parceria

O corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, participou de uma coletiva de imprensa, logo após a abertura oficial dos trabalhos. "Eu espero que essa atividade seja feita em parceria com o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas. Assim tem sido nos Estados do Rio de Janeiro e Sergipe, onde há uma parceria com a Corregedoria Nacional e a administração dos Tribunais, de forma que nós possamos ter cada vez mais um Judiciário célere e transparente, do qual todos nós possamos ter o orgulho de dizer que a ele pertencemos", declarou.

Prestação mais efetiva

Em seu discurso na sessão solene de abertura da Inspeção da Corregedoria Nacional de Justiça, o presidente do TJ-AM, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, falou que, a criação do CNJ há quase uma década, teve e continua cumprindo a missão de controlar a gestão administrativo-financeira dos tribunais e supervisionar os deveres funcionais dos magistrados.

"O Poder Judiciário tem passado por saudáveis transformações inspiradas pelo egrégio CNJ, todas elas voltadas para uma prestação jurisdicional mais efetiva e mais célere", enfatizou Ari Moutinho.

"Fomos o primeiro Tribunal do País que publicou no seu portal a remuneração nominal de seus servidores, produzindo o mais elevado nível de legitimidade e transparência que se possa exigir de um ente público", destacou peculiaridades de sua gestão.

Embora reconhecendo desacertos que acontecem em qualquer instância judicial, o presidente do TJAM lembrou de conquistas importantes como a realização do concurso público do Tribunal para os cargos de juízes e servidores (capital e interior), cujas provas serão aplicadas já no início do próximo mês.

"A participação de mais de 71 mil candidatos é uma demonstração da confiança dos cidadãos no nosso Poder Judiciário", ressaltou o presidente.

O desembargador afirmou ainda que a transparência, característica de sua gestão, também motivou a participação da imprensa na abertura dos trabalhos da correição do CNJ.

Avanço

O corregedor geral de Justiça do Amazonas, desembargador Yedo Simões, disse acreditar que a inspeção é um ato que proporciona avanços ao Tribunal, pois no momento em que falhas são apontadas, podem ser corrigidas e, com isso, gerar benefícios para a instituição, servidores e magistrados e, principalmente, para a população.

"Sendo o Amazonas um Estado de dimensões continentais, certamente existem questões que precisam ser corrigidas. Penso que essa correição vem em uma boa hora, auxiliando nossa administração e fazendo com que nós avancemos em alguns pontos", disse o corregedor do TJAM.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.