Domingo, 16 de Maio de 2021
ABRANGÊNCIA

CPI no Senado para investigar governadores e prefeitos tem assinatura de dois do Amazonas

Eduardo Braga e Plínio Valério estão entre os 34 senadores que já assinaram o pedido proposto pela base governista no Senado; presidente pressionou por ampliação do escopo da CPI neste domingo



SENA1_C8415839-55C9-46DF-B08E-4C5CFA6E56EC.JPG
12/04/2021 às 15:15

Os senadores Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério (PSDB) aderiram ao movimento de governistas no Senado para enfraquecer  a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, que visa investigar ações e omissões do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) na condução da pandemia, com foco na crise da falta de oxigênio ocorrida em Manaus, em janeiro deste ano.

Ambos senadores do Amazonas, eles assinaram o pedido de instalação de CPI do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que na manhã de hoje, segundo o Globo, conseguiu 34 assinaturas para instalação da comissão que pretende investigar governadores e prefeitos.



Na quinta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, atendendo o mandando de segurança dos senadores Alessandro Vieira e Jorge Kajuru (Cidadania), determinou que o presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco (DEM), instalasse a comissão - com o objetivo definido

Em áudio divulgado neste domingo pelo senador Jorge Kajuru, o presidente Jair Bolsonaro pressionou o senador pela a ampliação do escopo de investigação da CPI da Pandemia e por impeachment de ministros do STF. Com a instalação da CPI da Pandemia, Bolsonaro teme que apenas nomes do governo, como o ex-ministro da Saúde, general da ativa, Eduardo Pazuello, sejam ouvidos, ampliando o desgaste dele.

Desde a eclosão da pandemia, o presidente atribuiu aos governadores e prefeitos o elevado número de mortos e o colapso nos hospitais, alegando, sem evidência, que esses gestores desviaram recursos federais destinados ao combate do vírus.

De autoria do senado Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o pedido de CPI da Pandemia, que teve instalação determinada pelo STF, teve 31 assinaturas, incluindo as assinaturas dos senadores Omar Aziz (PSD), Plínio Valério e Eduardo Braga. O pedido de CPI de Randolfe prevê apenas a investigação dos erros do governo federal e do colapso do Amazonas.

Eduardo Braga, que assinou o pedido da CPI governista nesta semana, se movimenta para concorrer ao cargo de governador do Amazonas nas eleições de 2022. O movimento de aderir à estratégia bolsonarista de ‘melar’ a CPI da Pandemia seria um cálculo político do senador.

Braga se limitou a responder ao A CRÍTICA que a ampliação do objeto de investigação da CPI para Estados e municípios não extrapola a competência do Senado "quando a conexão e fato determinado à CPI tem competência sobre" esses entes da Federação.

O pedido de Girão foi apresentado no dia 2 de março, mas o requerimento de Randolfe conseguiu o número mínimo de 27 assinaturas primeiro, e por isso foi protocolado antes.

Plínio Valério disse que depois da determinação do ministro Luís Barroso para a instalação da CPI da Pandemia "qualquer outra invasão é fichinha”. Afirmou que ampliação da investigação da CPI não é invasão da autonomia de Estados e municípios. 

Segundo o senador, a assinatura foi adicionada à lista de Girão ainda no nascedouro da proposta, “ainda estávamos em sessões presenciais”.

Valério defendeu que a CPI tem que ser "abrangente" para poder ser justa. “Não podemos achar que só o governo federal é culpado disso. Para sermos justos e isso é uma missão de todos nós, na terra, principalmente  de quem exerce mandato público, é ser justo. Para ser justo tem que se investigar o governo federal, estadual e municipal”, declarou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.