Publicidade
Cotidiano
EMPREGO

Cresce a demanda em Manaus por engenheiros de software

A Engenharia de Software é um campo recente e promissor no Amazonas, uma vez que o Brasil é o 8º País no ranking mundial de desenvolvedores 08/02/2017 às 09:40 - Atualizado em 08/02/2017 às 09:41
Show 1192288
O único curso de Engenharia de Software colocou 100% de seus alunos no mercado de trabalho sem serem formados (Arquivo AC )
Lídia Ferreira Manaus (AM)

Na contramão do desemprego, uma área ganha força a cada dia e tem colocado profissionais, ainda nem formados, no mercado. A Engenharia de Software é um campo recente e promissor no Amazonas, uma vez que o Brasil é o 8º País no ranking mundial de desenvolvedores.

Em Manaus, 100% dos estudantes do único curso superior de Engenharia de Software já estão empregados, mesmo sem o diploma na mão. “Essa primeira turma tem 100 estudantes que ainda estão no terceiro ano dos cinco necessários para conclusão. É uma procura crescente, as empresas do Amazonas cada vez mais exigem estes profissionais”, diz a coordenadora do curso da Fucapi, Marcela Pessoa. A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) oferta a graduação apenas no município de Itacoatiara, a 270 quilômetros da capital.

A demanda está aquecida e, para suprir a necessidade do mercado local, muitas empresas selecionam engenheiros de Computação. “90% desses profissionais estão empregados e metade atua como desenvolvedores”, comenta Marcela Pessoa.

Entre as diferenças das duas ciências está na capacitação da Engenharia de Software para desenvolver projetos mais complexos, como por exemplo, para medicina ou controle aeroespacial.“Esse profissional é preparado para levantar as informações das necessidades do cliente, analisar por meio do uso de modelos conceituais, projetar o software utilizando metodologias, arquiteturas e padrões, testá-lo para avaliar o nível de qualidade, implantá-lo no ambiente de produção do cliente e se disponibilizar para realizar as devidas manutenções que sejam necessárias, tanto corretivas quanto evolutivas”, destacou Sérgio Vieira, que é docente do curso de Engenharia de Software da Faculdade Fucapi e mestre em Informática.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes),aproximadamente 14 mil companhias atuam no mercado brasileiro de Tecnologia da Informação.São 120 mil empregos diretos.

Blog: Thiago Vinhote, aluno de Engenharia de Software

Eu fiz um curso técnico em Informática e percebi que a área de Engenharia de Software oferecia um conhecimento mais aprofundado para ser desenvolvedor, além das possibilidades de trabalho. Curso o quinto período e sempre tenho ofertas de emprego, só não estou empregado porque decidi me envolver em um projeto científico que é outra área boa para atuar. Mesmo assim, ainda faço muitos trabalhos esporádicos. Também não vejo amigo meu fora do mercado de trabalho, sempre tem alguma vaga. Sou bem feliz no que faço e acho que vai ser melhor ainda quando eu me formar, ainda estou no meio do curso.

Publicidade
Publicidade