Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
Notícias

Cuidados com a higiene das mãos podem evitar séries de doenças

Elas são uma das principais ‘portas’ de entrada para doenças virais ou bacterianas se não forem lavadas com cuidados



1.jpg Profissionais da área da saúde são especialmente vulneráveis a doenças que entram no corpo a partir das mãos. Cuidados nesse caso devem ser dobrados
06/05/2015 às 20:08

O simples ato de ler uma revista pode transmitir doenças se, após a leitura, as mãos não forem lavadas corretamente. A higienização feita superficialmente é a mais comum, porém deixa qualquer indivíduo vulnerável às doenças virais e até mesmo as bacterianas.

A infectologista do Instituto da Criança do Amazonas (Icam), Sheila Pires da Silva, explicou que é necessário o cuidado redobrado com a higienização das mãos. “Estamos expostos a vários tipos de doenças e as mãos, sem o cuidado adequado, torna-se o meio mais comum de contaminação viral para  qualquer indivíduo”, explicou a infectologista.

Segundo a especialista, a população realiza a higienização de forma errada e de maneira  superficial. Mas, ela ressalta que os tipos de sabão e até mesmo o tipo de papel colabora para que as mãos não fiquem devidamente limpas.

“Não é qualquer sabonete que devemos utilizar na limpeza das mãos,  precisa ser liquido, perolado e conter hidratante. E o papel higiênico não deve ser reciclado, pois é outro transmissor de doenças”, reforçou Sheila Pires.

Para evitar a contaminação após o uso sanitário, a especialista orienta que é necessário, após a limpeza das mãos, utilizar o papel para fechar a torneira da pia e as portas do banheiro, caso ocorra o toque nesses lugares, as mãos estarão infectadas.

“A higienização das mãos deve acontecer sempre. Antes das refeições, depois do uso do sanitário, após o contato com dinheiro, jornal, revista e também depois de um comprimento com qualquer pessoa, pois sãos os principais meios de transmissão de doenças”, detalhou.

Nos hospitais o caso precisa ter mais atenção, pois a exposição das doenças é comum. A infectologista explicou que os médicos são orientados a sempre utilizarem luvas e após a visita de um paciente, procurar o lavabo mais próximo, para realizar todo o processo de higienização e a troca de luvas para em seguida atender outro paciente.

Para os visitantes e acompanhantes a situação não é diferente, pois o cuidado com as mãos devem ser dobradas.

Se não tiver os itens básicos para a limpeza das mãos, a especialista sugeriu a utilização do álcool em gel. “Não é qualquer álcool em gel, ele precisar ter 70% do álcool e as mãos não  podem ter sido contaminadas”, explicou. Para ter a mão saudável, a especialista reforçou que é necessário utilizar sempre as técnicas básicas da higienização, como esfregar bem os dedos e entre os dedos, as costas das mãos e não esquecer dos polegares e o punho.   Manter as unhas cortadas colabora com a higienização.

Cuidado com os pés

Segundo a infectologista, Sheila Pires, além das mãos, é necessário o cuidado diário com os pés, principalmente no período de chuva. Os pés, quando não estão bem protegidos, tem contato direto com a água contaminada das chuvas e esgotos. Este contato pode transmitir doenças graves e contagiosa como hepatite, micose e leptospirose e até doenças mais graves. Todo cuidado com eles também é a recomendação.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.