Publicidade
Cotidiano
CHUVAS

Defesa Civil do Amazonas emite alerta de enchente para região do Alto Solimões

Com base em dados do CPRM, o rio Solimões segue com cotas acima da média. O órgão também colocou o Baixo Amazonas em "Situação de Atenção". 16/03/2017 às 17:16
Show defesa civil 3
(Foto: Defesa Civil)
acritica.com Manaus (AM)

 Devido à evolução do cenário de enchente no Estado, a Defesa Civil do Amazonas colocou hoje (16), a região do Alto Solimões em “Situação de Alerta” e o Baixo Amazonas em “Situação de Atenção”. Os municípios que estão em “Situação de Emergência” já começaram a ser atendidos com a ajuda humanitária do Governo.
 
“Vamos enviar nossos técnicos ainda esta semana para a região do Alto Solimões para que junto com as coordenadorias municipais, possamos avaliar o plano de contingência para essas cidades,”, enfatizou o Secretário Executivo do órgão, coronel Fernando Pires Júnior.
 
A “Situação de Alerta” é a fase que antecede a Situação de Emergência. Na região do Alto Solimões sete municípios entraram nessa condição. São eles: Tabatinga, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Iça, Tonantins e Atalaia do Norte.
 
Monitoramento- De acordo com o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil do Estado (CEMOA), a previsão para o próximo semestre no Alto Solimões, baseada no Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM), é de chuva acima dos padrões climatológicos.
 
No campo hidrológico, com base em dados do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o rio Solimões segue com cotas acima da média. Na data de hoje, por exemplo, o nível em Tabatinga, cidade referência, chegou a 11,82m, ultrapassando em dois centímetros a Cota de Alerta, que é de 11,80m.
 
 Baixo Amazonas- Os sete municípios da calha do Baixo Amazonas (Parintins, Barreirinha, São Sebastião do Uatumã, Nhamundá, Urucará, Boa Vista do Ramos, Maués),  entraram em “Situação de Atenção” devido o nível do rio na região está acima da média para o período. Em Parintins, que é a cidade referência, o nível hoje chegou a 7,34m, faltando apenas 56 cm para atingir a cota de Alerta que é de 7,90m. E para alcançar a máxima de 9,38m registrada há oito anos faltam 2,04m.
 
Nova ajuda humanitária- O município de Guajará, na calha do Juruá, já recebeu dos Governos Federal e Estadual, por meio da Defesa Civil AM, 12 toneladas de cestas básicas, kit’s de medicamentos (antibiótico, vitamina, sais de hidratação, analgésico), kit’s dormitório (lençol, rede, mosqueteiro), kit’s de higiene pessoal e ainda, hipoclorito de sódio, para purificação da água. Serão encaminhadas ainda para esta calha, mais 150 toneladas de ajuda, que vai contemplar a segunda fase de socorro em Guajará, e primeira fase, nos demais municípios em Situação de Emergência (Eirunepé, Ipixuna, Itamarati).

BALANÇO DA ENCHENTE / 2017
 
 
*SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

 
1 - Guajará (calha do Juruá)
2 – Ipixuna (calha do Juruá)
3- Eirunepé (calha do Juruá)

4 - Itamarati (calha do Juruá)
 
Famílias afetadas: 5.970
 
*SITUAÇÃO DE ALERTA
1 - Juruá (calha do Juruá)
2 - Carauari (calha do Juruá)
3 - Envira(calha do Juruá)
4 -Tabatinga (calha do Solimões)
5- Benjamin Contant (calha do Solimões)
6- São Paulo de Olivença (calha do Solimões)
7- Amaturá (calha do Solimões)
8- Santo Antônio do Iça (calha do Solimões)
9- Tonantins (calha do Solimões)
10- Atalaia do Norte (calha do Solimões)
 
*SITUAÇÃO DE ATENÇÃO
1- Parintins ( calha do Baixo Amazonas)
2- Barreirinha ( calha do Baixo Amazonas)
3- São Sebastião do Uatumã ( calha do Baixo Amazonas)
4- Nhamundá ( calha do Baixo Amazonas)
5- Urucará ( calha do Baixo Amazonas)
6- Boa Vista do Ramos ( calha do Baixo Amazonas)
7- Maués ( calha do Baixo Amazonas)

Publicidade
Publicidade