Publicidade
Cotidiano
Notícias

Definição sobre a gestão da Arena da Amazônia fica para dezembro

Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) avalia o estudo elaborado pela consultoria Ernst & Young e processo de definição do modelo de gestão sofre atrasos 08/10/2014 às 09:32
Show 1
Além de jogos de futebol, Arena da Amazônia sediará eventos como shows musicais e congressos religiosos
Alik Menezes ---

Após um ano, a definição do modelo de gestão da Arena da Amazônia ainda não foi estabelecida. O prazo para divulgação do trabalho pela Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), inicialmente, era julho passado. No entanto, a Seplan discordou de alguns pontos do estudo conduzido pela empresa de consultoria Ernst & Young. A nova data para a definição do modelo é dezembro.

O trabalho estabelecerá que tipos de eventos e atividades poderão ser realizadas na Arena da Amazônia, além de quanto será cobrado pela concessão do espaço à empresa escolhida para cuidar do gerenciamento. Enquanto isso, a Arena está sob a administração da Fundação Vila Olímpica.

De acordo com o titular da Seplan, Airton Claudino, os pontos que causaram dúvidas estão sob análise e o órgão está empenhado para que o processo seja concluído até o fim do ano.

Reavaliação

“Surgiram dúvidas, por isso estamos fazendo uma nova avaliação desse estudo; e como são muitas páginas, estamos fazendo de forma minuciosa, mas acredito que até o dezembro esse estudo será entregue”.

O estudo, que custou R$ 1 milhão aos cofres públicos, começou a ser realizado no mês de outubro do ano passado.

“O estudo que a Ernest & Young nos entregou aponta o que poderá ser feito com ela (Arena), levando em consideração o interesse da sociedade e que não haja custo para o erário público no que diz respeito à manutenção do estádio”, disse Claudino.

Ele informou, ainda, que as pessoas poderão consultar como está o processo no site do órgão, o que também será informado aos veículos de comunicação. Além disso, audiências públicas serão realizadas antes que o projeto seja implantado. “Nós atuamos de forma transparente. Informaremos a sociedade, faremos audiências públicas para dar transparência a todo esse processo. Toda a verba que for adquirida com a locação da Arena servirá exclusivamente para a manutenção do estádio”, concluiu.

De acordo com a assessoria de imprensa da Fundação Vila Olímpica, o valor pago pelos organizadores de eventos realizados na área externa da Arena é de R$ 40 mil, enquanto que o aluguel da parte interna foi fixado em R$ 160 mil.

Publicidade
Publicidade