Publicidade
Cotidiano
Notícias

Denúncia anônima inspira revista nas celas da delegacia de Iranduba (AM), revoltando detentos

Os presidiários do município da RMM se rebelaram quando descobriram que policiais realizaram revista na carceragem. Após o motim terminar, três presos identificados como os líderes foram transferidos para a cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital amazonense. O trio responde por tráfico de drogas, associação para o tráfico e homicídios 20/12/2015 às 12:12
Show 1
O Grupo FERA foi acionado para conter o motim e foram necessárias cerca de duas horas de negociação até o tumulto terminar
fábio oliveira Manaus (AM)

Por conta de uma suposta informação de um plano sobre uma tentativa de fuga em massa de presos locados na 31ª Delegacia Interativa de Iranduba (distante a 27 quilômetros de Manaus), policiais do distrito e integrantes da Polícia Militar do município da Região Metropolitana de Manaus realizaram uma revista no último sábado (19) causando a fúria dos presidiários, que se revoltaram e fizeram uma pequena rebelião nas celas da delegacia. 

As informações são do delegado Paulo Mavignier, titular do 31º Distrito Policial de Iranduba. De acordo com ele, uma informação anônima recebida pela equipe policial local de que uma arma de fogo teria sido recebida por um dos presos da delegacia motivou a realização da revista nas celas do distrito. Segundo Mavignier, a denúncia anônima informava que a arma seria utilizada para uma fuga em massa.

Porém, nenhuma arma de fogo foi encontrada nas dependências da delegacia. A revista teve início às 15h30 da tarde de sábado e terminou por volta das 17h30. Conforme o delegado, todos os 27 presos das celas foram retirados para um banho de sol enquanto a revista era realizada.

A fúria dos detentos se deu depois que eles descobriram, ao voltarem para as celas, que uma revista havia sido feita no local. Dois estoques e 50 gramas de maconha foram encontrados.

“Eles não sabiam que nós íamos fazer uma revista e só quando eles retornaram para as celas foi que perceberam que já havia sido feita. Os detentos tentaram quebrar as portas e arrombar as celas e foi preciso chamar reforço”, informou Mavignier.


Ainda segundo ele, o grupo Força Especial de Resgate e Assalto (FERA) foi acionado para conter o motim. Mavignier informou que foram necessárias duas horas de negociação até o fim do tumulto.

Denúncia

A revista policial foi motivada por um incidente que ocorreun na noite de sexta-feira (18), quando a equipe policial de Iranduba prendeu um homem por trás da delegacia tentando repassar drogas e um aparelho celular para um interno preso no 31º DIP.

“Depois que nós prendemos recebemos uma ligação de que uma arma de fogo teria entrado no local e que por conta dessa arma alguém iria liderar uma fuga em massa, por isso foi feita a revista, mas nenhuma foi encontrada e ninguém ficou ferido”, explicou.

Ainda segundo o delegado, depois do término do motim, três presos identificados como Márcio Oliveira Carvalho, o Macaco; o irmão dele, Cláudio Oliveira Carvalho; e Celso Reis, o “Reizinho”, foram transferidos para a cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital amazonense, por serem os líderes do motim. O trio responde por tráfico, associação para o tráfico e homicídios.

Publicidade
Publicidade