Quarta-feira, 03 de Junho de 2020
ARMAMENTO

Deputada defende porte de arma para mulheres com medida protetiva

Alessandra Campêlo (MDB) sustenta que o uso do armamento pode assegurar mais proteção àquelas que são vítimas de ameaças



mulher_armada_3801BEC9-9A11-4DEB-9E8E-717B1B1A4816.JPG Foto: Reprodução
03/03/2020 às 16:02

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) disse que é favorável ao porte de armas de fogo para mulheres que estão sob medida protetiva. A declaração foi dada durante um pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) nesta terça-feira (3).

A parlamentar acrescentou que projeto de Lei 6.278/2019, de autoria do deputado federal Sanderson (PSL-RS), pode autorizar o uso do armamento pelas mulheres e assegurar mais proteção àquelas que são vítimas de ameaças. 



A deputada estadual afirmou, ainda, que pessoas sob medida protetiva vivem em constante ameaça de agressão e acrescentou que devem haver um critério técnico para a utilização da arma de fogo por elas. 

As medidas protetivas são mecanismos legais que têm como objetivo proteger um indivíduo em situação de risco.  A Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, é uma das medidas protetivas mais conhecidas que visa defender mulheres vítimas de violência familiar e doméstica.

“Eu acredito que ela tenha uma proteção a mais. Porque a mulher que está sob medida protetiva, além dos riscos que todos correm em relação à violência, ela tem na ‘cola’ dela um possível feminicida e a gente vê todos os dias os números de feminicídio”, disse a parlamentar.

O projeto de lei 6.278/2019 altera a Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, que orienta condições para a posse e comercialização de armas de fogo e munição. O projeto está em tramitação na Câmara Federal  e aguarda a designação do relator na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher (CMulher).

Participação feminina na política

(Foto: Emanuel Siqueira)

A parlamentar também utilizou o tempo na tribuna para falar que as mulheres constituem mais da metade da população, mas que no parlamento estadual não chegam a 15%. De 24 parlamentares na ALE-AM, apenas quatro são mulheres. São elas: Alessandra Campêlo (MDB), doutora Mayara (PP), Joana Darc (PL), Therezinha Ruiz (PSDB) 

“O Brasil é um dos países onde há menor participação das mulheres na política. Esse é um dos desafios, fazer com que mais mulheres se candidatem e a gente possa ocupar o nosso espaço”, disse a parlamentar.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.