Publicidade
Cotidiano
Notícias

Deputado Estadual Luiz Castro aguarda decisão

Executiva Nacional do PPS decidirá o destino da representação feita pelo suplente Joaquim Corado contra o parlamentar 10/08/2013 às 10:43
Show 1
Para o deputado estadual Luiz Castro, do PPS, a representação feita contra ele por suplente não tem cabimento
André Alves ---

O deputado estadual Luiz Castro, líder do PPS na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), classificou de “risível” e “esdrúxula” a representação feita pelo suplente dele, Joaquim Corado, que pede a expulsão do parlamentar da sigla, com a conseqüente perda do mandato. O suplente alega que Luiz Castro cometeu “infidelidade partidária” ao apoiar a criação do partido Rede Sustentabilidade, liderado pela ex-senadora Marina Silva.

A representação contra Luiz Castro, movida inicialmente na Executiva Estadual do PPS, foi remetida pela direção local do partido para a Executiva Nacional. Não houve decisão sobre o assunto até o momento. “É um processo risível porque o que tem de políticos com mandato apoiando a criação de outras siglas...Se isso for motivo para a expulsão, dezenas de parlamentares serão expulsos de seus partido. Creio que a Executiva Nacional irá arquivar o processo”, comentou Luiz Castro.

Na representação, Joaquim Corado diz que Luiz Castro feriu o Código de Ética do PPS ao usar a prerrogativa de deputado para apoiar “veladamente” a criação da Rede, “agredindo as normas que disciplinam seu dever de agir”. Segundo Corado, o deputado Luiz Castro não respeitou “as proibições inerentes do filiado à sigla partidária por onde foi eleito, evidenciando engajamento ou alinhamento com outra parte”. “A ostensiva ação do deputado Luiz Castro fere flagrantemente o Código de Ética do PPS”, diz Joaquim Corado na representação. “(Ele) vem agindo de forma clara e insinuante contra o partido que o elegeu”, acrescentou o suplente.

Luiz Castro afirmou que entre os apoiadores da criação da Rede está o líder do PPS na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno, e Ricardo Young, vereador em São Paulo. Ele também cita que o deputado federal Paulinho da Força nunca foi ameaçado de ser expulso do PDT por apoiar a criação de outra sigla, a Solidariedade. “Isso é um direito de qualquer cidadão”, sustentou Luiz Castro.

Para ele, a representação não tem motivos para prosperar. “Não estou preocupado. Não tem base jurídica nem política. Ele precisa concorrer e ganhar a eleição para ser deputado. A Executiva Estadual remeteu para a Nacional a representação, que deve arquivá-la, senão, terá que expulsar diversos membros”, comentou Luiz Castro. Entrevistas e posts do deputado Luiz Castro em redes sociais serviram de base para a representação formulada pelo suplente Joaquim Corado.

Apoio à Rede é motivo de críticas

Conforme a representação feita por Joaquim Corado, no dia 26 de maio o deputado Luiz Castro fez declarações públicas de apoio à criação do partido Rede, o que, para ele, fere o Código de Ética do PPS. Disse Luiz Castro, de acordo com a transcrição feita na representação: “Apoio a criação do novo partido, liderado nacionalmente por Marina Silva, com a que tenho esperança de que ajude a quebrar paradigmas de inércia de outros partidos, inclusive de esquerda, que cada vez mais contrariam, na prática, seus discursos e seus programas com ações contraditórias, desvinculadas da ética do bem comum”.

De acordo com Joaquim Corado, “no afã de angariar apoiadores e filiados ao Rede (Luiz Castro) vem tentando insistentemente cooptar filiados do PPS nos municípios”. Ele taxou de “desleal” a recusa de Castro em gravar inserções do PPS em propaganda partidária na TV.

Publicidade
Publicidade