Publicidade
Cotidiano
Notícias

Deputado Jair Bolsonaro desperta admiração e repúdio em Manaus

Recebido como popstar parlamentar não poupou polêmicas como dizer que tem apoio de muitos gays e criticar as demarcações de terras indígenas no Brasil; o deputado do PP do Rio de Janeiro foi homenageado pela ALE-AM 10/12/2015 às 21:27
Show 1
Jair Bolsonaro recebe medalha na ALE-AM
Oswaldo Neto, Rafael Seixas, e Vinícius Leal Manaus (AM)

“As leis têm que ser feitas para a maioria. A minoria tem que se submeter”. Com essa frase o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) marcou a sua passagem pela capital. Dono de declarações polêmicas que atingem o público LGBT, movimentos feministas, negros e indígenas, o parlamentar despertou repúdio em uns, que realizaram manifestação contra sua homenagem na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), e a admiração de outros, evidenciada em uma calorosa recepção no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes nessa quinta-feira.

O contato do pepista com os amazonenses iniciou no saguão do aeroporto. Lá, centenas de pessoas esperavam pelo deputado e o receberam com gritos de “Bolsomito”, “fora Dilma” e fora PT”. “O processo de impeachment está caminhando. A vocês, povo, que são mais do que importante em movimento de rua, é importante mudar o voto do deputado indeciso e o voto do deputado que quer se vender. O Brasil tem jeito”, disse o parlamentar, que foi carregado nos ombros por seus admiradores.

Declarações

Bolsonaro não se conteve em dar declarações polêmicas em coletiva de imprensa realizada no hotel Blue Tree Premium, Zona Centro-Sul. Ele não poupou críticas a minorias militantes como gays, índios e negros. “[...] imagine um filho teu de 5 ou 6 anos querendo fazer sexo com Joãozinho e você tendo que respeitar por meio de um acordo assinado pelo Brasil”, declarou o deputado ao ser questionado se ele aceitaria ser homenageado por um militante gay.

O parlamentar também voltou a criticar a demarcação de terras para indígenas no Amazonas. "Toda vez que o índio se aproxima da fronteira ele não quer mais voltar pra lá. Aqui ele cuida de doenças, vê TV, acessa Internet... Deixando um índio como um animal preso no zoológico essa terra vai se transformar mais cedo ou mais tarde independente. E o que eles vão fazer? Nada, porque índio fica quieto pra não apanhar".

Homenagem

Das mãos do deputado Platiny Soares Bolsonaro recebeu a medalha de Comenda Ordem do Mérito Legislativo do Amazonas, que homenageou outras 23 pessoas no auditório Belarmino Lins da Assembleia.

Questionado sobre os seus feitos no Estado para receber o título, Bolsonaro afirmou que suas leis são feitas para a maioria. “As leis tem que ser feitas para as maiorias, as minorias tem que se submeter a essas leis. Quando eu defendo a família eu defendo todos os brasileiros, esse é a minha contribuição para o Amazonas”. 

Mais de 100 pessoas ligadas a movimentos sociais e estudantis de Manaus se reuniram em frente à sede da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), na Zona Centro-Sul, em protesto contra a entrega da comenda da  “Ordem do Mérito Legislativo” ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ). Os manifestantes foram impedidos de entrar no recinto, mas não deixaram de expor sua indignação com a homenagem feita ao parlamentar no Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Manifestação contrária

De acordo com Alichelly Ventura, 30, integrante do Grupo de Pesquisa em Sistema Internacional de Direitos Humanos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o deputado extrapola o limite da democracia ao pregar contra os direitos humanos.

“No dia em que se comemoram os direitos humanos, em que se comemora a saída do período de Hitler, do Nazismo, época que várias pessoas foram submetidas à crueldade, o Amazonas homenageia um senhor que faz uma política de incentivo ao extermínio. Ele faz isso quando diferencia homens de mulheres, negros, homossexuais, indígenas. Direitos humanos não são para um grupo, mas sim para todos”, disse.

Sobre a recepção calorosa de muitos amazonenses a Bolsonaro no aeroporto, o deputado José Ricardo (PT-AM) disse que a existência de pessoas que compartilham das ideias mais absurdas do parlamentar permite que ele exista politicamente.

“Temos que tirar da nossa história o machismo, a intolerância em todas suas formas e, principalmente, combater a violência contra as mulheres porque esse deputado de forma reiterada agride as mulheres e a dignidade da pessoa humana”, declarou o petista.

 Na saída da ALE-AM, após a cerimônia, os manifestantes pararam alguns carros na avenida Mario Ypiranga à procura de Bolsonaro, mas se depararam com o presidente da  ALE-AM, Josué Neto (PSD), que teve de deixar o seu veículo e sair andando pela avenida, sob vaias por ter permitido tal homenagem. “Democracia e respeito são isso”, declarou. 

Blog: Platiny Soares 

Deputado estadual

“A nota de repúdio da OAB foi estimulada pela Comissão de Direitos Humanos. E aí eu deixo aqui um questionamento: a que tipo de direitos humanos a OAB está a serviço? Que tipo de direitos humanos a população deseja? Eu respondi à OAB. Direitos humanos pra gente de bem é ter acesso à educação, à saúde, poder ter sua liberdade individual, o seu direito de ir e vir, o seu direito de ter sua primeira certidão de nascimento. Órgãos de proteção de direitos humanos do Amazonas têm que parar de ficarem sentados na cadeira esperando a mídia entrevistar quando acontece alguma coisa dentro de qualquer presídio, porque senão vai ficar fadado a ficar defendendo vagabundo. Direitos humanos que a população de bem quer são direitos humanos que trabalham para os vulneráveis. Bandido tem que ser tratado como bandido e não o contrário”.  

Publicidade
Publicidade