Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
POLÍTICA

Deputados da ALE-AM escolhem novo presidente nesta quinta-feira (22)

Às vésperas da eleição, sobram conversas de bastidores para fechar o nome que comandará orçamento de R$ 474 milhões nos próximos dois anos e poderá exercer posição chave numa eleição indireta para governador



Capturar.JPG Dois blocos se articulam pelo comando da Casa. Um, capitaneado pelo governador José Melo (Pros); outro, pelo senador Eduardo Braga (PMDB) (Foto: Divulgação)
22/12/2016 às 06:00

Na véspera da eleição que decide o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) pelo próximo biênio, o que não faltou foram conversas ao pé do ouvido entre os deputados. Enquanto vários deles se revezavam na tribuna para se manifestar sobre o assunto, outros se reuniam procurando fechar o nome que comandará um orçamento de R$ 474 milhões nos próximos dois anos e poderá exercer posição chave numa eleição indireta para governador. 

Dois blocos se articulam pelo comando da Casa. Um, capitaneado pelo governador José Melo (Pros), que conta com sua base de apoio para emplacar o novo presidente - fato que tem sido historicamente recorrente na disputas pelo comando da ALE-AM. A última presidente eleita à revelia da vontade do governador foi a deputada estadual Beth Azize há 33 anos, em 1983, quando Gilberto Mestrinho governava o Amazonas.  De lá pra cá, todos os dirigentes da Casa Legislativa foram ungidos pelo governador do momento. Dois blocos se articulam pelo comando da Casa. Um, capitaneado pelo governador José Melo (Pros)

Das oito pré-candidaturas anunciadas, ainda se mantinham no páreo na manhã de ontem os deputados Belarmino Lins (Pros) e David Almeida (PSD), da base governista, e Bosco Saraiva (PSDB) e Sidney Leite (Pros), da ala de Braga. Ambos os lados mencionavam nos bastidores terem um número de deputados que garantiria a vitória, mas a convergência em torno dos cabeças de chapa ainda parece distante, mesmo com a eleição batendo à porta.

David Almeida (PSD), líder do Governo na Casa, usou seu tempo de tribuna para se  manifestar sobre o depoimento da Operação Cauxi que o citou como suposto beneficiário de um esquema de corrupção na Prefeitura de Iranduba. E inspirar uma onda de solidariedade entre os colegas. Após o seu discurso, Abdala Fraxe (PTN), Augusto Ferraz (DEM), Carlos Alberto (PRB), Francisco Souza (PTN), Josué Neto (PSD), Orlando Cidade (PTN), Ricardo Nicolau (PSD), Sabá Reis (PR) e Serafim Corrêa (PSB) apoiaram em plenário a candidatura do líder do Governo à presidência.

O parlamentar comentou ainda que conta com os votos dos deputados Cabo Maciel (PR) e Platiny Soares (DEM), que não estavam presentes na sessão de ontem e desconversou que seja o candidato “ungido” de Melo. “Todo mundo fala que sou o candidato do governo. Veja bem, dos doze candidatos que me apoiam, eu não tenho o apoio dos dois deputados do partido do governador. Faço parte da base, mas não tenho esse apoio. Tirem suas conclusões”, declarou, complementando que o 1º vice de sua chapa será Abdala.

Essa versão é contestada por Sidney Leite, que afirmou que David é sim o candidato de Melo, mas que isso não estremeceu sua relação com o governador. “De minha parte, continuo respeitando ele como governador do Estado. Somos do mesmo partido. Agora, a bancada do Pros aqui diverge com relação à candidatura do David”, disse, enfatizando sua boa relação com Belarmino Lins e que ambos têm um acordo de apoiar um ao outro caso um deles se torne mais viável para o cargo.

Bosco Saraiva disse que estava tranquilo com o grupo de deputados que o apoia, mesmo considerando algumas deserções. “Essa eleição está muito franca, aberta e clara e com muita possibilidade do grupo não alinhado [com o governador] ganhar as eleições. Conosco, já estão fechados o PSDB, o PMDB, temos o Sidney, que é do Pros e vamos conversar com os independentes. Teoricamente, temos o Luiz Castro [Rede] e vamos falar com o José Ricardo Wendling [PT] que, como essa eleição pode dar 12 a 12, se ele mantiver a candidatura dele, ele vai estar dando a presidência para o David”, explicou Bosco Saraiva.

Blog: Belarmino Lins, deputado estadual pelo Pros

“Eu tenho dito, em alguns momentos que a minha candidatura não  pode ser colocada apenas por uma questão de vaidade pessoal ou por proselitismo. Ela poderá acontecer de acordo com as forças que a moverem ou apoiarem. Eu não vou, com a experiência de sete mandatos como deputado, três como presidente,  me arvorar a ser candidato de mim mesmo. [...] O governador tem declarado na grande imprensa que todos os quatro pretensos candidatos têm a sua amizade. É meu amigo Belarmino, até li que me chamou de ‘queridíssimo’, falou ‘queridíssimo’ David, ‘querido’ deputado Sidney, ‘amigo’ Bosco Saraiva... então estou esperançoso nesse adjetivo, ‘queridíssimo’, mas, até o momento, não me chamou para dizer de sua preferência ou de seu apoio. Se ele vier, é sua prerrogativa”.

Voto de José Ricardo é disputado

Fora dos grupos majoritários dentro da ALE-AM, o deputado José Ricardo Wendling (PT) ainda almeja lançar uma candidatura independente, a despeito de estar sendo cortejado fortemente pelos grupos dos demais concorrentes.

“Tem parlamentares que têm me procurado para saber minha posição, alguns do grupo do David, outros da oposição. [...] Eu não vou apoiar o candidato do governo apresentado até agora, que eu não sei nem se vai ser ele porque as coisas vão acontecendo aqui. Na verdade, nenhum nome posto como candidato está discutindo as reais questões da Assembleia”, comentou.

Até o momento, o petista disse que sua maior vontade ainda é propor uma chapa junto com o deputado Luiz Castro (Rede). “Conversei com o Luiz e acho que amanhã se define isso. Por ora, estou defendendo que tenha uma chapa nossa. Falar com as pessoas sobre uma outra chapa, diferente da governo, tudo bem, nenhum problema em dialogar. Porém, o que se vê nos bastidores são discussões sobre quem vai ser presidente, quem vai ser vice, e acho que o debate principal é o funcionamento do Legislativo, as suas funções e seu papel na sociedade”, comentou.

Personagem: José Melo, governador do Amazonas

Em entrevista para A CRÍTICA na sexta-feira, o governador José Melo afirmou que tem quatro amigos disputando a presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas. “Como é que tu podes me pedir qual é o meu candidato se eu tenho quatro amigos disputando. A minha situação é difícil. Mas uma coisa eu digo. Eu estou fazendo aquilo que a idade me diz que tenho que fazer. Fazendo todas as nuances de ponderação. Quando isso se esgotar o governador vai ter uma posição. E aí é a posição final”, disse. 

Melo afirmou que deixou sua base de apoio à vontade para discutir nomes. “Eu sou o primeiro governador que não  reuniu os deputados numa mesa e disse: esse é o ungido. Eu não fiz isso. Deixei a base muito livre para tratar desse assunto. Mas vai chegar o momento  que eu vou dizer a minha parte porque afinal de contas eu preciso da base aliada para a gente continuar construindo as coisas do interesse do povo do Amazonas. A Assembleia é fundamental no processo de desenvolvimento do Estado. Sobretudo porque para o ano eu vou colocar em pratica doa em quem doer o projeto da matriz econômica ambiental. E eu vou precisar da Assembleia para isso”, disse. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.