Publicidade
Cotidiano
FINANÇAS

Deputados debatem a saúde financeira do AM na Assembleia Legislativa do Estado

Deputados manifestam preocupação, mas governo estadual assegura que equilíbrio será mantido 22/06/2017 às 11:50
Show 16 sidney leite pros dm 23 571x381
As despesas do Estado foram destacadas pelo deputado estadual Sidney Leite (Divulgação/Ascom)
acritica.com Manaus

Deputados da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) levantaram, na sessão de ontem, uma preocupação sobre a saúde financeira estadual. O orçamento que é de R$ 14 bilhões, já teve em suas despesas R$ 7 bilhões empenhados e R$ 5 bilhões pagos, de acordo com o site da Transparência do Governo do Estado. Os parlamentares temem que haja impacto nas folhas de pagamento. No entanto, o governador David Almeida (PSD) afirmou que o equilíbrio fiscal do Estado é uma de suas prioridades e que fará ajustes nas despesas de todos os órgãos da administração direta e indireta. 
 
As despesas do Estado foram destacadas pelo deputado estadual Sidney Leite (Pros). “É uma situação que merece esclarecimento por parte da Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) para expor quais os verdadeiros números, quanto se tem em caixa, qual a receita do Estado e saber o que está acontecendo, para não haver o atraso de pagamento dos trabalhadores”, destacou o parlamentar.  “Se tivermos a ameaça de não cumprimento dos direitos dos trabalhadores a situação financeira do Estado é muito mais grave do que se imagina”. 
 
Segundo Leite, atualmente a “folha do Estado passa e muito a lei de responsabilidade fiscal, porque o Estado usa de terceirizados”. “Nós temos ainda a situação dos terceirizados, que ao longo dos anos foi se avolumando e que somam uma monta grande. Diante disso, sugiro que possamos dialogar com o secretário Francisco Arnóbio”.  
 
Durante os debates no parlamento, os deputados se mostraram preocupados com a folha de pagamento dos servidores. “Há uma preocupação, sim, com a filha de pagamento. É importante o corte nos (valores dos) contratos. Temos que analisar o que está acontecendo. Verificar a data base dos professores e a situação dos terceirizados”, afirmou o deputado Wanderley Dallas (PMDB).

O secretário de Fazenda, Francisco Arnóbio ressaltou que as contas do governo estão em dia. “O governo está trabalhando com a responsabilidade que o momento requer e esse equilíbrio nos permite dizer que vamos manter nossos compromissos com a folha de pagamento dos servidores, com credores, com os poderes e os municípios, bem como garantir a normalidade dos serviços essenciais”, disse.


Governador determina ajustes

O governador David Almeida (PSD) esteve reunido com o secretariado, ontem, e determinou ajustes que devem ser feitos nas despesas dos órgãos da administração. As medidas de ajustes, segundo ele, se fazem necessárias em função do orçamento de 2017 ser R$ 1,5 bilhão menor que o de 2016.
 
Almeida já havia anunciado cortes de despesas nas áreas de saúde e educação, além da Casa Militar. No total, a economia chegará a R$ 315 milhões até o final do ano. 

Uma das primeiras medidas tomadas por Almeida ao assumir o governo foi viajar em avião comercial, gerando economia de R$ 12 milhões.

Foi determinado, ainda, ajustes nas despesas, como a diminuição de contrato de aluguel de carros, contrato de prestação de serviços, fornecimento de mercadorias, entre outros.     
        
Almeida disse que pretende conduzir a gestão com responsabilidade e equilíbrio, sem comprometer a qualidade dos serviços. “Vamos buscar utilizar os recursos para que possamos aplicá-los da melhor maneira possível em benefício do povo do Amazonas”.
 
Segundo a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), o resultado entre a arrecadação e a despesa líquida, até o mês de maio, apresentou superávit de R$ 1,220 bilhão, enquanto que no mesmo período de 2016 o superávit foi de R$ 881,972 milhões.

 

Publicidade
Publicidade