Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
OPERAÇÃO CAUXI

Deputados são apontados como beneficiários de esquema de corrupção milionário

Ex-secretário de finanças de Iranduba disse em depoimento que David Almeida (PSD), Ricardo Nicolau (PSD) e Francisco Souza (PTN) participaram de esquema que desviou R$ 56 milhões do município



montagem1.jpg David Almeida (PSD), Ricardo Nicolau (PSD) e Francisco Souza (PTN). Fotos: Arquivo AC
20/12/2016 às 12:55

Os deputados estaduais David Almeida (PSD), Ricardo Nicolau (PSD) e Francisco Souza (PTN) foram denunciados como beneficiários do esquema de corrupção que desviou R$ 56 milhões do município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus). O ex-secretário de Finanças do município, Davi Queiroz, citou em depoimento à Justiça, na sexta-feira (16), os nomes dos três parlamentares.

Em mais de seis horas de interrogatório à Justiça e a membros do Grupo de Atuação Especial de Combate as Organizações Criminosas (Gaeco), responsável pela “Operação Cauxi”, que denunciou o ex-prefeito Xinaik Medeiros e mais 12 pessoas à Justiça, por participação em organização criminosa, crime de responsabilidade, fraudes em licitações, e lavagem de dinheiro, Davi acusou ainda ex-parlamentares e ex-prefeitos de favorecimento na rede de desvio de recursos.

Por terem foro privilegiado, só o procurador-geral de Justiça pode autorizar o início da investigação contra os parlamentares. O “dossiê” detalhando o envolvimento dos parlamentares será enviado pelo juiz Jorsenildo Dourado do Nascimento, titular da 1ª Vara de Iranduba, ao procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, nos próximos dias para averiguação.

Procurado pela reportagem, o procurador afirmou que se reuniu na manhã desta terça-feira com a equipe do Gaeco para tratar da denúncia, mas que aguarda a chegada da ata encaminhada pelo juiz.

“Como se trata de uma investigação já iniciada pelo Gaeco, irei expedir uma portaria de delegação para que eles investiguem o envolvimento dos parlamentares”, disse Monteiro. Somente após a investigação do Gaeco é que o procurador-geral de Justiça decidirá se oferece ou não denúncia contra os políticos.

Parlamentares da base governista

Os três deputados estaduais acusados por Davi Queiroz de participar do esquema de desvio de recursos do município de Iranduba pertencem à base governista da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM).

David Almeida (PSD) entrou para o parlamento em 2007 e atualmente exerce o terceiro mandato como deputado estadual. É o líder do governo na Casa Legislativa e do Partido Social da Democracia (PSD). O deputado é o segundo vice-presidente da Casa Legislativa e presidente da Comissão de Políticas Sobre Drogas.

Colega de partido de David, outro denunciado é o deputado Ricardo Nicolau, que já responde a ação penal movida pelo MP-AM pelo suposto superfaturamento de R$ 5,5 milhões nas obras do edifício-garagem da Casa Legislativa, quando foi presidente do Poder. Na ação, sob a relatoria do desembargador Jorge Lins, o MP-AM pede a condenação de Nicolau com perda do mandato, suspensão dos direitos políticos por até dez anos e devolução dos recursos. Ricardo Nicolau está no quarto mandato de deputado estadual.  O deputado Francisco Souza (PTN) está no quinto mandato de deputado estadual.

Francisco Souza nega envolvimento

Em nota, o deputado Francisco Souza (PTN) afirmou desconhecer as informações citadas na reportagem e disse que nunca teve nenhum contato com o ex-secretário de Finanças,  Davi Queiroz, preso na operação "Cauxi", deflagrada pelo Ministério Público do Estado do Amazonas

Ele disse que vai adotar as medidas legais para se defender do que chamou de "falsas acusações". “Soube pela imprensa e não sei qual o sentido desse cidadão, que está nessa situação, em citar meu nome, mas posso dizer que, graças a Deus, nunca tive nenhum contato com ele e estou muito tranquilo”, disse Souza.

Davi e Nicolau mostram surpresa

Líder do governo na Assembleia, o deputado Davi Almeida mostrou surpresa com a citação. "Eu nem sei porque estou sendo acusado, mas vou procurar me informar", afirmou ele, que disse conhecer Davi Queiroz apenas "de nome". "Conheço de nome, de jornal, nunca tive relação pessoal, nunca tive apoio deles. Fico surpreso com essa acusação, mas muito tranquilo também".

Ricardo Nicolau disse que nunca nem viu Davi Queiroz e que não tem nenhum envolvimento no esquema de corrupção. "Uma coisa eu afirmo: não tem nada, nenhum envolvimento, nem político nem qualquer outro tipo de envolvimento com o ex-prefeito de Iranduba. Vou verificar que tipo de citação é essa", afirmou ele. Alvo de ação penal, acusado de superfaturar as obras do Edifício Garagem da ALE, Nicolau disse que espera que todas as investigações sejam feitas com "punições exemplares para aqueles que não respeitaram os recursos públicos". 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.