Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
Volta aos trabalhos

Deputados propõem fim do recesso parlamentar

Eles também sugeriram a distribuição de R$ 20 milhões aos municípios



show_show_ALEAM_Div_6B4389D5-85B8-4758-8298-CBB5180933F3.jpg Foto: Arquivo A CRÍTICA
19/01/2021 às 10:59

Em sessão extraordinária convocada para esta terça-feira (19), os deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) propuseram o fim do recesso parlamentar, a distribuição de R$ 20 milhões do caixa da Casa ao Fundo Estadual de Saúde, além do remanejamento das emendas impositivas dos parlamentares para compra de oxigênio.

Deputados de oposição, como Wilker Barreto (Podemos) e Delegado Péricles (PSL) sugerem a convocação do secretário de saúde do interior e fazem coro para o impeachment do governador Wilson Lima (PSC).



Os deputados estaduais estão de recesso desde o dia 17 de dezembro após a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA). 

O deputado Serafim Corrêa (PSB) sugeriu ao plenário que se faça a transferência de R$ 20 milhões de sobras do orçamento da ALE-AM ao Fundo Estadual de Saúde. Serafim explicou que os repasses também beneficiaram os fundos municipais dos 61 municípios do interior.

O deputado Sinésio Campos (PT) defendeu o fim do recesso parlamentar com mais de uma votação por semana e sugeriu que a emenda impositiva coletiva aprovada de R$ 50 milhões para compra de vacina anti-covid-19 seja usada para obtenção de oxigênio ao interior do Estado. O petista falou em remanejamento das emendas parlamentares de todos os deputados para a saúde.

“R$ 50 milhões são U$ 10 milhões esse dinheiro é uma emenda parlamentar impositiva e que isso aí pode ser liberado de imediato para a utilização", disse.

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC), deputado João Luiz (Republicanos), salientou que o hospital de Itacoatiara, apesar de existir um esforço por procura de cilindros de oxigênio, a unidade não possui a encanação oxigênio que “custa em torno de R$ 10 mil”.

A presidente da Comissão de Saúde da Assembleia, deputada Mayara Pinheiro (Progressistas), pontuou que a Assembleia Legislativa deveria ser inserida no gabinete de crise instalado pelo Governo do Amazonas para acompanhar a situação epidemiológica da pandemia. Mayara Pinheiro, que transita na base governista e na oposição, disse que o Amazonas viveu o “maior massacre por asfixia visto neste país”.

A crise no abastecimento de oxigênio dos hospitais da rede pública do Amazonas começa a se intensificar na quinta-feira (14) e familiares de pacientes correm para comprar, por conta própria, cilindros de oxigênio para seus parentes internados com a Covid-19.

AAM

O presidente da Associação Amazonense de Municípios, prefeito de Manaquiri Jair Souto (MDB), convidado por deputados a falar na Assembleia, afirmou que os municípios do interior não foram avisados com antecedência sobre a falta de oxigênio.

Segundo Souto, prefeitos de municípios do interior tiveram cilindros de oxigênio “retidos” pela Polícia Militar. "Isso causou grandes transtornos e uma confusão generalizada”, afirmou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.