Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Notícias

Deputados tentam evitar ‘bala perdida’

O cerco que o governador Omar Aziz (PSD) e o senador Eduardo Braga (PMDB) fazem a Amazonino Mendes (PDT) reforçam a postura de espera dos parlamentares em torno das alianças que estão por vir



1.jpg O vice-presidente da ALE-AM, deputado Belarmino Lins (PMDB), sustentou que em meio ao tiroteio que não se vê publicamente, o melhor é evitar ser baleado no meio do caminho.
02/08/2013 às 09:26

As movimentações em torno das eleições 2014 já colocam membros da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) em estado de alerta. O cerco que o governador Omar Aziz (PSD) e o senador Eduardo Braga (PMDB) fazem a Amazonino Mendes (PDT) reforçam a postura de espera dos parlamentares em torno das alianças que estão por vir.

No Poder Legislativo estadual, a base de sustentação do governo, formada em sua maioria pelo PSD e PMDB, permanece coesa internamente, mas, a tendência é que os deputados dos dois grupos tomem posições opostas à medida em que Omar Aziz e Eduardo Braga mostrem que embarcarão em projetos distintos no ano que vem. Nos bastidores, porém, o PMDB de Eduardo Braga já não está mais tão disposto a obedecer as ordens do governo com a disciplina de antes.

Ao comentar sobre as articulações em torno da eleição para o Governo do Estado, o vice-presidente da ALE-AM, deputado Belarmino Lins (PMDB), sustentou que em meio ao tiroteio que não se vê publicamente, o melhor é evitar ser baleado no meio do caminho. “Primeiro, o comando político tem que dizer: “pega as armas”. Aí eu pergunto: “Qual é a minha? Um fuzil?”. Eu vou pra cima. Mas, enquanto isso, tem que se esquivar para a gente não pegar uma bala perdida”, disse, em tom de brincadeira, Belarmino Lins, ao comentar sobre as movimentações políticas rumo à 2014.

O líder do governo na Assembleia, deputado Sinésio Campos (PT), usa outra ilustração para demonstrar que os parlamentares, mesmo com as movimentações, não pretendem tomar posições precipitadas. “Não fico na porta da maternidade esperando o filho nascer. Tem alguns que ficam. Pior é quando não fizeram a ultrassonografia para identificar se é homem ou mulher”, comentou. “Essas questões (alianças) às vezes vão até os últimos minutos para as definições. Tudo é muito cedo. Não estamos vivendo nenhuma situação de sobressalto na Assembleia. Não tem ainda nenhuma sinalização da mosca azul da eleição picando deputados da base”, disse Sinésio Campos. Para ele, o tempo agora é de adaptação às novas demandas da sociedade. “A sociedade cobra mais compromisso com a coisa pública. É pé na estrada para buscar soluções”.


Saiba mais

Articulações

Na semana passada, o vice-prefeito de Manaus Hissa Abrahão (PPS) disse que será candidato ao Governo do Estado ano que vem e que, por isso, se desincompatibiliza do cargo de secretário de Obras do Município em março de 2014. O prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), assegurou que apoia a decisão de Hissa e que o colocou na função de secretário de Obras exatamente para que ele tivesse visibilidade com vistas à eleição de 2014. Artur também divulgou que apoia a possível candidatura do governador Omar Aziz ao Senado Federal. Em declarações anteriores a essas, o vice-governador José Melo sustentou que o próximo pleito é a sua “vez” de disputar o cargo majoritário. Ao lado dele está a deputada federal Rebecca Garcia, que procura viabilizar sua candidatura.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.