Publicidade
Cotidiano
Notícias

Desembargador nega pedido de advogado de mandante de crime passional, que segue viajando

José Bezerra de Araújo entrou com pedido para que juiz plantonista pudesse despachar pleitos em favor de sua cliente e que tivesse acesso aos autos sem precisar apresentar procuração. Ele planeja pedir o relaxamento da prisão de Marcelaine Santos Schumann 21/12/2014 às 17:18
Show 1
A mandante do crime, Marcelaine Schumann (à esq.), e a vítima, a universitária Denise Almeida (à dir.)
joana queiroz Manaus (AM)

O desembargador Yedo Simões indeferiu o pedido do advogado José Bezerra de Araújo que requer a concessão de autorização para que o juiz plantonista de 1º grau possa despachar pleitos futuros em favor da sua cliente, Marcelaine Santos Schumann, mais conhecida como “Elaine”, que está com a prisão decretada desde a última quinta-feira (18) como suspeita de ser a mandante da tentativa de homicídio da advogada Denise Almeida, no dia 12 de novembro. O advogado pediu, ainda, para ser habilitado no processo e ter acesso ao mesmo sem procuração.

O advogado disse que até este domingo (21), ainda não tinha tido acesso aos autos, mas que já estava refazendo o pedido, pois agora já está com a procuração da cliente em mãos. Bezerra disse que, assim que tomar conhecimento do que consta nos autos, vai entrar com o pedido de relaxamento da prisão de Elaine, que segue viajando, de férias nos Estados Unidos.

Segundo ele, a mulher não está fugitiva da Justiça - apesar de divulgado que o nome dela deve ser incluído na lista da Interpol em breve. Ela entrou de férias com o marido e já tem data marcada para voltar. “Quem está fugitiva não viaja com data marcada de retorno, mas só vou poder agir quando tiver acesso aos autos”, disse Bezerra.

De acordo com as investigações feitas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Elaine pagou R$ 7 mil para que pistoleiros executassem ou deixassem aleijada a rival dela, a bacharel em Direito Denise Almeida da Silva, de 34 anos, atingida com um tiro de arma de fogo quando saía de carro, uma Mercedes-Benz branca, do estacionamento da academia Cheik Clube, no Centro de Manaus, no dia 12 de novembro.

De acordo com as investigações, o crime teve motivação passional, uma vez que, segundo a polícia, Denise era amante do empresário Marcos Souto, que, por sua vez, era casado com outra mulher mas mantinha um outro relacionamento extraconjugal com Elaine, a enciumada mandante do crime. Denise negou conhecer Elaine e Marcos, mas revelou que recebia ameaças de Elaine há mais de um ano.

Elaine teve a prisão preventiva decretada pelo juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Mauro Antony, mas já se encontrava de férias desde 20 de dezembro com retorno marcado para 5 de janeiro. A mesma está sendo considerada como fugitiva da Justiça. Na sexta-feira (19), a Policia Civil protocolou o mandado de prisão na Polícia Federal e na Infraero e ela pode ser presa a qualquer momento.

Publicidade
Publicidade