Publicidade
Cotidiano
Notícias

Desemprego: Amazonas já perdeu 24,9 mil vagas de trabalho

De janeiro a outubro deste ano, Estado demitiu 24,9 mil trabalhadores. Maiores perdas foram nos setores da construção civil e na indústria de transformação 21/11/2015 às 12:14
Show 1
O Ministério do Trabalho e Emprego mensalmente o balanço dos empregos formais no País
ACRITICA.COM ---

O Estado do Amazonas perdeu 3.769 postos de trabalho no mês de outubro. Esta é a diferença entre admissões e demissões registradas neste período. No acumulado do ano, o déficit na geração de empregos totaliza 24,9 mil. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados periodicamente pelo Ministério do Trabalho e Emprego e Previdência Social.

A indústria é o setor que mais foi afetado, com 2.147 demissões a mais que o volume de admissões. De janeiro a outubro, a perda no estoque de empregos é de 30,4 mil.

No mês de outubro, o Brasil fechou 169.131 vagas formais de emprego. Trata-se do pior resultado para o mês da série histórica iniciada em 1992. Os dados do Caged são fruto de 1.237.454 admissões e 1.406.585 demissões. O resultado foi muito inferior ao registrado em outubro do ano passado, quando ficou negativo em 30.283 vagas pela série sem ajuste.

No acumulado dos últimos 12 meses, o País fechou 1.381.992 vagas, com ajuste, ou seja, incluindo informações passadas pelas empresas fora do prazo. Desde janeiro deste ano, o saldo de postos fechados é de 818.918, também com ajuste. O resultado divulgado nesta sexta ficou dentro das expectativas do mercado para o mês passado.

De acordo com os dados do Caged, o setor de construção civil foi o responsável pelo maior número de vagas formais de trabalho fechadas em outubro. No total, foram encerradas 49.830 postos no setor. O número é resultado de 135.605 admissões e 185.435 desligamentos no período.

Todos os setores da economia fecharam vagas no mês passado. O segundo maior responsável por fechamento de postos no mês, bem próximo da construção civil, foi a indústria de transformação, com queda de 48.444 vagas. Na terceira posição, ficaram os serviços, com um resultado negativo de 46.246.

Piores resultados

De acordo com o Caged, das 27 unidades da Federação, 23 reduziram o total de empregos. Os estados de São Paulo e Minas Gerais foram os que mais fecharam vagas no mês, com um saldo de demissões de 50.423 e 24.502, respectivamente.

Publicidade
Publicidade