Publicidade
Cotidiano
Notícias

Detran-AM flagra 287 motoristas dirigindo sob o efeito de álcool na Operação Carnaval 2016

Outros 64 foram pegos sem CNH ou com documento vencido, e 11 se recusaram a fazer o teste do bafômetro. Além disso, foram 427 autos de infração e 300 veículos apreendidos 08/02/2016 às 10:03
Show 1
Números se referem à operação que começou na última quarta (3) até o momento, nesta madrugada
SILANE SOUZA Manaus,Amazonas

Entre a última quarta (3) e a madrugada desta segunda-feira (8), 287 motoristas foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool em Manaus, outros 64 sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou com o documento vencido, e 11 se recusaram a fazer o teste do bafômetro. Os dados fazem parte do balanço parcial do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), divulgado hoje.

Segundo o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, foram lavrados 427 autos de infração e apreendidos 300 veículos durante a operação Carnaval 2016, que segue até a quarta-feira de Cinzas. “Consideramos os números elevados porque fizemos campanhas educativas, colocamos a disposição do folião quatro opções seguras para ele brincar o Carnaval, mas infelizmente o motorista ainda não tem conscientização”.

Feitoza se referiu a parceria com associações de Rádio Táxi Tucuxi, Parintins, Golfinho, Manauara e Tocantins que durante o período da folia oferecem atendimento diferenciado para as pessoas que solicitarem o serviço de rádio táxi e assim evitem dirigir após consumir bebida alcoólica. Além do Disque-Pileque, uma parceria entre o Detran-AM e a Associação dos Condutores de Ambulância do Amazonas.

“O que nos chamou a atenção é que as infrações não foram cometidas só por jovens. Muitas mulheres foram pegas dirigindo embriagadas, assim como pessoas acima de 30 e 40 anos. Um dado curioso, que nos mostra que não existe conscientização do motorista quanto ao perigo álcool e direção”, destacou o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza.

No mesmo período, o Disque-Pileque registrou 112 ligações, apenas 20% do total foram confirmadas, 60% foram trotes. O que indignou Feitoza. “Avalio esse dado com muita indignação porque é um serviço voluntário feito por socorristas do Samu, que estão abrindo mão de um dia de folga para servir a sociedade. Com os trotes eles deixam de atender quem realmente necessita. Isso não é brincadeira, pois eles estão alí para salvar vidas de pessoas”, ressaltou.

Ainda de acordo com o balanço parcial do órgão, ocorreram 25 acidentes em Manaus, os quais resultaram em cinco mortes no trânsito da cidade.

Publicidade
Publicidade