Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
CUIDADOS

Diabéticos amazonenses são os mais cuidadosos com a saúde, diz estudo

De acordo com pesquisa promovida pela Abbott, a população de Manaus são as que mais possuem hábitos saudáveis quando comparadas a brasileiros de outras regiões do Brasil



zVIDA0610-1Fs.jpg (Foto: Divulgação)
10/06/2018 às 07:00

A população de Manaus e região metropolitana está dando um bom exemplo para o restante do País. Segundo a pesquisa “Empoderamento do Paciente – importância e desafios”, da Abbott, empresa global de cuidados para a saúde, as pessoas com diabetes nessa localidade são as que mais possuem hábitos saudáveis quando comparadas a brasileiros de outras regiões do Brasil. A pesquisa da Abbott ouviu 480 homens e mulheres com diabetes, de mais sete capitais brasileiras (Fortaleza, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre), entre os dias 2 e 20 de junho de 2017.

O objetivo da pesquisa era estimular a reflexão sobre a importância da conquista e manutenção da saúde e seus principais desafios. A maioria dos pacientes com diabetes de Manaus (52%) afirmou se movimentar bastante ao longo do dia, sendo que a média nacional registrada na pesquisa é de 37%. Além disso, 94% dos entrevistados manauenses com diabetes realizam as principais refeições ao longo do dia e 90% dormem 6 a 8 horas por noite.

As principais motivações dos pacientes com diabetes para melhorar os hábitos alimentares são: aumento da qualidade de vida (56%),  manter a condição de saúde sob controle (50%) e se sentir mais bem disposto (48%). O estudo também mostrou que, após o diagnóstico, os entrevistados de Manaus são os que se sentem mais determinados a melhorar sua saúde (44%) e que mais aumentaram o tempo que dedicam para si (81%). 

Aliados do paciente

Pensando nesses dados, a Abbott se empenha em  produzir novos meios de oferecer mais saúde a pessoas do mundo todo, por meio de vários produtos tecnológicos. Um dos últimos lançamentos da empresa é o FreeStyle Libre System, tecnologia que vêm revolucionando o modo de controlar a diabetes.

O aparelho é composto de um sensor do tamanho de uma moeda de 1 real; quando grudado na parte de trás do braço, mede a glicemia por meio de uma microagulha flexível e indolor, quase tão fina quanto um fio de cabelo.

A todo minuto, o sensor colhe logo abaixo da pele dados do paciente. As informações são armazenadas em um chip e, depois, transmitidas por rede sem fio para um monitor portátil, onde são visualizadas. Ele funciona assim ao longo de 14 dias – e não precisa tirá-lo para tomar banho ou dormir.

“Acreditamos que a inovação é fundamental para melhorar a saúde. Por isso, nosso foco é desenvolver soluções inovadoras em amplo espectro de serviços de saúde que ajudam as pessoas a ter uma vida melhor”, afirma Juan Carlos Gaona, Gerente Geral da Abbott no Brasil, durante a visita da reportagem ao Espaço Vida da Abbott, em São Paulo.

“Nosso foco é garantir que a vida das pessoas melhore e seja mais duradoura. Cada vez mais os pacientes estarão empoderados parar eles serem gestores de sua própria saúde. Nossa missão é oferecer aos pacientes soluções que façam esse empoderamento florecer mais rápido”, acrescenta Gaona.

* O repórter viajou a convite da Abott

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.