Domingo, 16 de Fevereiro de 2020
determinação

Dias Toffoli manda liberar R$ 1,1 bilhão para fundos estaduais

Presidente do STF determinou que o governo transfira aos estados metade dos recursos do Fundo Nacional de Segurança



dias_5E2F9FB1-BE93-43AD-B87A-615AEB3065F9.JPG Foto: Reprodução / Internet
28/12/2019 às 10:21

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, determinou que o governo federal transfira aos fundos estaduais metade dos recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) provenientes das loterias. O valor estimado é de R$ 1,14 bilhão.

O ministro atendeu a pedido de liminar apresentado por vários governadores, que alegam ter direito ao repasse em função da Lei 13.756/2018, que alterou as regras para gestão do fundo. Ele também proibiu o contingenciamento de novas verbas do fundo.



A decisão se deu em uma ação apresentada por 25 estados e o Distrito Federal. Apenas a Paraíba não participa. Segundo a ação, a União contingenciou R$ 1,14 bilhão (65% do fundo) e afetou os repasses aos estados, ferindo a lei que garante transferência obrigatória ao entes de 50% do valor que compõe o fundo e foi arrecadado com a exploração de loterias.

"Entendo que o modelo constitucional de federalismo cooperativo exige da União a observância das regras de repartição de recursos com as demais entidades políticas nacionais, sob pena de incorrer em infidelidade federativa", observou Toffoli, que está de plantão durante o recesso do Judiciário.

Na volta aos trabalhos, o caso deverá ser repassado à ministra Rosa Weber, relatora do processo. Ainda em sua decisão, o ministro ressaltou que o Supremo já vedou essa prática em relação ao Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), em julgamento ocorrido em setembro de 2015.

Na semana passada a Advocacia-Geral da União se manifestou contra o pedido dos estados. A AGU reconheceu que a Lei Orçamentária Anual de 2019 "alocou parcela das receitas do fundo em uma reserva de contingência específica, vinculada ao próprio Ministério da Justiça e Segurança Pública", mas ponderou que, embora tenha sido feito pelo governo federal, a proposta foi aprovado pelo Congresso.

"Tal decisão teve como fundamento a necessidade de cumprir normas orçamentário-financeiras inerentes ao próprio funcionamento fiscalmente responsável das finanças públicas: (i) o limite de gastos imposto pelo Novo Regime Fiscal (arts. 106 a 114 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias); e (ii) a meta de resultado fiscal fixada na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 (Lei nº 13.707/2018)", diz trecho do documento da AGU.

O Fundo Nacional de Segurança Pública tem como objetivo garantir recursos para apoiar projetos, atividades e ações nas áreas de segurança pública e de prevenção à violência, seguindo as diretrizes do Plano Nacional de Segurança.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.