Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
Notícias

Diretor Fernando Peixoto morre em São Paulo

Peixoto travou luta contra tumor no intestino. Seu corpo já se encontra no cemitério da Vila Mariana e será cremado nesta segunda-feira (16) às 11h



1.gif Fernando Peixoto nasceu em Porto Alegre e iniciou sua carreira no teatro em 1953
15/01/2012 às 18:28

O diretor e ator Fernando Peixoto,74, morreu neste domingo (15) em São Paulo, após complicações no seu tratamento contra um tumor no intestino. Ele estava internado no hospital São Luiz desde dezembro.

O corpo já se encontra no cemitério da Vila Mariana e será cremado nesta segunda-feira (16) às 11h.

Em nota, o Ministério da Cultura ressaltou a importância de Peixoto e o classificou como “um dos maiores pensadores de teatro”. Além disso, citou as contribuições do diretor: “Suas reflexões sobre o teatro internacional e sua contribuição ao teatro brasileiro na segunda metade do Século 20 foram fundamentais”.

Fernando Peixoto nasceu em Porto Alegre e iniciou sua carreira no teatro em 1953. Em 1963, passou a morar em São Paulo e a integrou a companhia Teatro Oficina. Ele também atuou no cinema, em filmes como O Beijo da Mulher Aranha, de Hector Babenco, em 1984, e Faca de Dois Gumes, de Murilo Salles, em 1988.




Leia a íntegra da nota de pesar pelo falecimento:

O Brasil acaba de perder um dos maiores pensadores de teatro, o diretor, ator, escritor e professor Fernando Peixoto. Suas reflexões sobre o teatro internacional e sua contribuição ao teatro brasileiro na segunda metade do Século 20 foram fundamentais. Ele manteve até o fim da vida a relação de apoio e orientação aos novos atores, diretores e grupos. O Ministério da Cultura sente profundamente esta perda.

Aos familiares, amigos, aos muitos admiradores e a toda a comunidade do teatro, meu abraço solidário.

Vitor Ortiz,
Ministro Interino de Estado da Cultura


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.