Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Notícias

Discriminação nos elevadores públicos e particulares pode gerar multa de R$ 25 mil

Funcionários de edifícios e entregadores devem usar o mesmo elevador que moradores ou condôminos, caso proposta do vereador Everaldo Farias (PV) seja aprovada


28/04/2015 às 15:53

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) iniciou nesta segunda-feira (27), a análise do Projeto de Lei (PL) 089/2015, que prevê o aumento da multa para quem praticar discriminação nos elevadores de edifícios públicos e particulares. De autoria do vereador Everaldo Farias (PV), a proposta pretende aumentar de 30 para até 300 Unidades Fiscais do Município (UFMs) a multa para os casos de infração da lei. Este ano, a UFM foi reajustada em R$ 83,78 e, com o novo valor, a multa máxima pode chegar a R$ 25.134.

O projeto do vereador Everaldo visa tornar mais rigorosa as sanções previstas na Lei Municipal nº. 1.559/2011, que veda qualquer forma de discriminação no acesso aos elevadores de todos os edifícios do município, alterando o Artigo 5º da legislação. A proposta foi protocolada nesta segunda-feira e será analisada pela Procuradoria Jurídica da CMM e depois seguirá ao plenário para deliberação.

“A  lei que está em vigor é um grande avanço para acabar com esse tipo de discriminação explícita nos prédios, quando existe a área de elevadores sociais e de serviço. Sendo que funcionários do edifício e entregadores são proibidos de usar o mesmo elevador dos moradores ou condôminos. Contudo, existe um grande entrave por conta do baixo valor da multa que, hoje, é de apenas R$ 2.513. Por isso, ela, muitas vezes, não é respeitada”, explicou Everaldo Farias.

O artigo 1º, da Lei Municipal 1.559/2011, prevê que é vedada qualquer forma de discriminação em virtude de raça, sexo, cor, origem, condição social, idade, porte ou presença de deficiência e doença não contagiosa por contato social quanto ao acesso aos elevadores de todos os edifícios públicos ou particulares, comerciais, industriais e residenciais multifamiliares existentes no município de Manaus.  

Com a alteração proposta pelo vereador, o Artigo 5º da referida legislação estabelecerá que o descumprimento de qualquer dispositivo da lei implicará em multa de  50 UFMs (R$ 4.189). Em caso de primeira reincidência, a multa passará a 100 UFMs (R$ 8.378). No caso de segunda reincidência, a multa subirá para 200 UFMs (R$ 16.756). E, a partir da terceira reincidência, e subsequentes, a multa passar a ser de 300 UFMs (R$ 25.134).

Com informações da assessoria de comunicação*

publicidade
publicidade
UEA está com inscrições abertas para projeto Escola do Meio Ambiente (EMA)
Bolsonaro promete enviar ao Congresso projeto que classifica invasões como terrorismo
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.