Publicidade
Cotidiano
Notícias

Discussão sobre greve dos docentes da Ufam será retomada nesta terça-feira (9)

Todos os professores da universidade, sindicalizados ou não, terão direito à voz e ao voto. Para assinar a lista de presença e receber o cartão de votação os docentes deverão apresentar documento de identificação funcional 08/06/2015 às 19:30
Show 1
Professores estão divididos sobre paralisação
acritica.com Manaus (AM)

A assembleia geral (AG) dos professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), para deliberar sobre a deflagração da greve da categoria, suspensa no último dia 26 de maio, será retomada nesta terça-feira (9), às 14h, no Auditório Eulálio Chaves, no Setor Sul do Campus. A informação é da Associação de Docentes da instituição (Adua).

A divergência quanto ao cômputo dos votos dos docentes de Benjamin Constant, Coari, Humaitá e Parintins, que realizaram assembleias e remeteram os votos para contabilização na AG em Manaus, gerou o adiamento da deliberação da categoria.

Naquela ocasião, o presidente da Adua, professor José Alcimar Oliveira defendeu a manutenção dos votos dos professores lotados nas unidades acadêmicas fora da sede, ressaltando que “tratam-se de docentes da mesma instituição e com os mesmos direitos” e que a seção sindical estudaria medidas para o acolhimento dos votos dos docentes dos campi da Ufam fora da sede.

“Não se trata de voto por procuração, porque os companheiros que lá se reuniram em assembleia, discutiram e deliberaram a decisão, registrada em ata, e enviaram as listas com as assinaturas, mantendo a transparência do processo”, disse.

Assim como na última AG, todos os professores da universidade, sindicalizados ou não, terão direito à voz e ao voto. Para assinar a lista de presença e receber o cartão de votação os docentes deverão apresentar documento de identificação funcional (crachá ou comprovante de rendimentos mais documento oficial com foto). A lista de presença será recolhida uma hora após o início da assembleia.

No último dia 14 de maio, os docentes já haviam aprovado, com 67 votos favoráveis, o indicativo de greve a partir do dia 29 de maio. Em âmbito nacional, a categoria está em greve desde o dia 28 de maio – com 24 universidades já tendo deflagrado movimento paredista – assim como os técnicos da Ufam que também deflagraram greve, no dia 28.

Publicidade
Publicidade