Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
Saúde

Doenças ‘silenciosas’: males furtivos podem causar de infertilidade a morte súbita

Com sintomas vagos ou ausentes, problemas como diabetes tipo 2, hipertensão e hipercolesterolemia podem se desenvolver no organismo e causar males sem chamar atenção



mat1.jpg Lista de “males silenciosos” inclui depressão, diabetes tipo 2, hepatite C, osteoporose, hipercolesterolemia, ovário policístico, aids/HIV, entre outros (Foto: Divulgação)
18/12/2016 às 13:55

Quando começam a espirrar sem razão aparente, muitas pessoas já suspeitam que uma gripe pode estar a caminho. Mas há doenças que se instalam e causam males ao organismo sem chamar atenção. Com sintomas vagos ou inexistentes, elas representam perigo maior por conta dos danos às vezes irreversíveis que podem causar até serem descobertas e tratadas.

Na lista desses “males silenciosos” estão, entre outros, depressão, diabetes tipo 2, hepatite C, osteoporose e hipercolesterolemia. Alguns exibem sinais vagos, facilmente atribuídos a outros problemas – como o cansaço, mais associado ao estresse que à depressão. Outras, como a hipercolesterolemia, são praticamente invisíveis.

O disfarce não diminui o perigo: a depressão leva 15 em cada 100 pacientes a tirar a vida, segundo a Organização Mundial de Saúde. E a obstrução de artérias e veias pode levar a um infarto fulminante.

Mas como se defender de males tão furtivos? Para o médico cardiologista intervencionista, Tales Esper Venâncio, só existe um jeito: procurando um médico. “Das doenças do coração, por exemplo, só há uma forma de se prevenir: indo ao médico, avaliando os fatores de risco e fazendo exames”, diz.

Ele revela ainda dados alarmantes. “O diagnóstico clássico do diabetes em média é dado após dez anos de convivência do paciente com a doença. E, para 17% das pessoas que sofrem infarto, o episódio é o primeiro sintoma da doença cardíaca”.

Prevenção sempre
Para evitar isso, Venâncio orienta consultar o médico de forma regular, independente de idade. E desfaz a ideia de que o check-up é algo que só se faz a partir dos 40 anos de idade.

“Já acho 40 uma idade avançada para o check-up. Tenho tido casos de infarto com adultos na faixa dos 30 anos, e até um caso de 28 anos. Ideal é sempre que possível ir ao cardiologista para ver se você tem um coração normal e nenhuma contraindicação a atividade física”.

Em se tratando de doenças elusivas como diabetes ou hipertensão, ele reitera: essencial é estar sempre alerta, sem esperar por um sintoma que pode chegar tarde demais. “O médico tem de ser consultado sempre, de forma preventiva”.

 

FRASE
“Você não deve esperar um sintoma surgir para buscar um médico. Ele tem de ser consultado sempre, de forma preventiva”
Tales Esper Venâncio, médico cardiologista intervencionista


Para o cardiologista intervencionista Tales Esper, ir ao médico é única forma de evitar males ocultos (Foto: Divulgação)

 

LISTA
Conheça algumas das principais doenças ‘silenciosas’ e fique atento

Depressão
Ela começa como um cansaço extremo e total falta de ânimo, e pode levar a tristeza profunda, sedentarismo e abuso de álcool e alimentos. Somente 30% dos casos têm diagnóstico precoce e são tratados de forma adequada.

Hepatite C
Ela pode ficar incubada por mais de 20 anos e se manifesta com sintomas de difícil diagnóstico, porém vagarosamente compromete o fígado e a função hepática, podendo levar à cirrose e até ao desenvolvimento de câncer.

Diabetes Tipo 2
Boca seca, muita sede e idas frequentes ao banheiro. Os sintomas iniciais da doença podem passar despercebidos, mas a deficiência do pâncreas na produção de insulina e o decorrente excesso de glicose aos poucos podem levar a problemas mais sérios.

HIV/AIDS
Como a hepatite C, também pode levar anos para se manifestar. O preconceito contra a doença, transmitida também por relações sexuais sem proteção e uso de drogas injetáveis, contribui para a dificuldade na busca por um diagnóstico.

Hipertensão
Dores de cabeça, tonturas e fraquezas podem ser provocados por diversos fatores. Mas quando causados pela pressão arterial elevada, esses alertas podem ser o início de doenças cardíacas mais sérias, como enfarto ou AVCs.

Hipo e Hipertireoidismo
Problemas na tireoide atingem 15% da população brasileira. Mais comum nas mulheres, o hipotireoidismo causa desaceleração do metabolismo, aumento de peso, dores musculares e alterações de humor – sintomas em geral associados a outras doenças.

Osteoporose
Causa a perda da densidade óssea e o decorrente enfraquecimento dos ossos, mas pode passar despercebida e ser descoberta somente quando ocorrem quedas e fraturas provocadas por ela.

Endometriose
Esse distúrbio provoca cólicas menstruais, dores pélvicas e problemas para engravidar, mas  nem toda mulher sente os sinais de alerta, tornando o diagnóstico ainda mais difícil.

Ovário Policístico
Uma das principais causas da infertilidade feminina, seus sintomas principais incluem ganho de peso, irregularidade menstrual e pelos no rosto. A doença é causada pelo desequilíbrio hormonal, mas pode ser tratada com medicamentos.

Hipercolesterolemia
Pessoas sedentárias, acima do peso e com vida desregrada são mais propensas a desenvolver colesterol alto. O depósito de gordura e a obstrução de veias e artérias ameaçam o bom funcionamento do organismo, em especial do coração.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.