Publicidade
Cotidiano
ECONOMIA

Dólar cai para menos de R$ 3,15 com mercado apostando em Lula fora da corrida eleitoral

A cena externa favorável também ajudava no movimento do mercado local, ajudado ainda pela expectativa de entrada de mais recursos após a captação da Petrobras 26/01/2018 às 14:25
Show dolar
Foto: Reuters
Claudia Violante (Reuters)

O dólar operava em queda e abaixo de R$ 3,15 nesta sexta-feira (26), com os investidores apostando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ficar fora da corrida eleitoral deste ano após a condenação dele por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro ter sido confirmada por unanimidade em segunda instância da Justiça Federal em Porto Alegre.

A cena externa favorável também ajudava no movimento do mercado local, ajudado ainda pela expectativa de entrada de mais recursos após a captação da Petrobras. Às 10h19, o dólar recuava 0,30%, a R$ 3,1494 na venda, mas chegou a cair mais de 1% e bater R$ 3,1201 na mínima da sessão, movimento que perdeu força com a entrada de compradores pelas baixas cotações.

O dólar futuro era negociado praticamente estável porque, na sessão passada, chegou a cair quase 3% ao reagir com mais força à decisão final do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) contra Lula, dada após o fechamento do mercado à vista. “Os atuais níveis de preços atraem investidores interessados em comprar, mas como o clima está bastante favorável, acho que o fôlego pode não ser tão forte para içar a moeda (norte-americana)”, afirmou o profissional da mesa de derivativos de uma corretora local.

Na quarta-feira (24), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) decidiu por unanimidade manter a condenação de Lula pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, adicionando obstáculos às pretensões do petista de disputar novamente a Presidência da República em outubro.

Lula é visto pelos mercados financeiros como alguém que teria menor compromisso com a agenda reformista e com os ajustes fiscais. A decisão do TRF-4 já havia feito o dólar à vista despencar quase 2,5% no pregão passado. Na véspera, o ex-presidente aceitou a indicação do PT para ser pré-candidato à Presidência da República pelo partido.

Além da cena política, os mercados também se mostravam mais otimistas com a expectativa de mais ingressos de capital de fora após a estatal Petrobras informar a captação de US$ 2 bilhões em notas. O dólar também caía ante uma cesta de moedas e divisas de países emergentes, como o peso mexicano e o rand sul-africano.

Embora as declarações na quinta-feira do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que ele quer um “dólar forte” contradigam as de seu secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, investidores suspeitavam que uma queda prolongada da moeda norte-americana pode ser provável.

Publicidade
Publicidade