Publicidade
Cotidiano
TURISMO

Amazonenses faturam alugando imóveis na Airbnb; lucro mensal chega a R$ 1,3 mil

Plataforma de hospedagem gera ganhos para amazonenses. Em 2016 movimentou R$ 2 bilhões no Brasil 25/02/2018 às 16:03
Show cl udi   airbnb  2
Cláudio é anfitrião pelo aplicativo por pouco tempo, mas já tem reservas programadas até junho deste ano. Foto: Arquivo Pessoal/ Cláudio
Rebeca Mota Manaus (AM)

Viajar é ótimo para o turista, mas também tem grandes vantagens para a economia local, por conta dos gastos do viajante com hospedagem, por exemplo. O ganho de um anfitrião típico na plataforma de aluguel de quartos e imóveis Airbnb é de R$ R$ 1 mil por mês. 

Segundo pesquisa do Airbnb, o negócio movimentou nada menos do que R$ 2 bilhões no Brasil em 2016, entre a renda dos anfitriões e o gasto dos hóspedes com turismo. 

O anfitrião e administrador Cláudio dos Santos aluga o apartamento do Wyndhm Gardem Manaus no bairro Ponta Negra por R$ R$ 140, sem cobrança de hospede adicional. A ideia começou a partir da necessidade de compensar os custos que ele tem com o apartamento. Ele entrou recentemente no app como anfitrião e hoje ganha R$ 1,3 mil por mês e já tem reservas até junho deste ano.

“A ideia de eu locar o apartamento foi devido à correria do trabalho. Eu morava até junho do ano passado lá, mas acabava que nem chegava a dormir. Eu tinha um custo de aluguel e condomínio e estava pagando sem utilizar. Eu aluguei outro apartamento no final do ano passado que ficou perto do meu trabalho e faculdade. E não desfiz do da Ponta Negra, porque ele serve tanto para lazer quanto para hospedar minha família. A maioria do tempo ficava ocioso. E tive a ideia de alugar. Então com o dinheiro do airbnb eu pago a taxa do condomínio”, diz. 

Para oferecer um conforto maior na acomodação, Cláudio busca identificar quais são as necessidades dos hóspedes e oferece no apartamento remédios, sabonetes, ferro de passar roupa e escovas de dente como cortesia. 

“Antes de eu começar alugar eu entrei no perfil de todos os anfitriões do prédio para observar as críticas que eles recebiam dos seus hóspedes. Eram detalhes pequenos que eu peguei para mim. Tento dar maior atenção possível aos hospedes. Eu respondo imediatamente o anfitrião. Quando eu finalizo a reserva eu pergunto as necessidades”, conta.

A contadora Lilian Linhares é anfitriã no Airbnb desde junho de 2016, aluga um apartamento localizado na Ponta Negra e já alugou 36 vezes e tem reservas até julho deste ano. Em média a diária custa R$ 85, mas que varia conforme a temporada. 

“Conheci o sistema em outubro de 2014, quando me hospedei durante um mês em Paris, num estúdio muito bonito e aconchegante. Então, como vi que era algo seguro e que dava certo, logo quis aderir ao sistema, além de hóspede, também como anfitriã”, conta Linhares.

Para se diferenciar no app a contadora que gosta de disponibilizar conforto, segurança, e praticidade ao hóspede. “A comunicação com o hóspede é sempre clara e direta. Acredito que por tudo isso sou considerada uma das melhores anfitriãs do Amazonas, conforme apontam as avaliações no meu perfil na plataforma. Desta forma, ganhei por várias vezes consecutivas o selo de ‘Superhost’ atribuído pelo próprio Airbnb”, explica.

Para cativar os hóspedes, Lilian oferece mimos básicos para gerar conforto e praticidade. “Disponibilizo Wi-Fi, TV a cabo, toalhas para corpo e rosto, banheiro privativo para o hóspede, mapas da cidade e diálogo sobre os pontos turísticos”.

Recomendações

Para se dar bem alugando quartos ou imóveis na plataforma, segundo o próprio Airbnb, é importante ter boas avaliações de hóspedes, que são públicas no site. Anúncios com as melhores avaliações são os que mais se destacam entre os demais. Também é importante publicar boas fotos do imóvel, que mostrem vários ângulos e retratem bem o ambiente.

Publicidade
Publicidade