Publicidade
Cotidiano
ESTRATÉGIAS

Aprenda a identificar se é o momento de encerrar o negócio ou refazer planos

A avaliação pode contribuir para o futuro e, acima de tudo, encontrar os problemas e reagir rapidamente a eles pode significar a continuidade do seu negócio 16/07/2017 às 09:13
Show como avaliar saude financeira da empresa 750x410
O consultor recomenda olhar para o último ano e verificar se a empresa está gerando caixa regulamente (Foto: Reprodução/Internet)
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Quando se toma a decisão de ter o próprio negócio os planos são para o futuro. Toda empresa precisa avaliar se está no caminho certo. A avaliação pode contribuir para o futuro e, acima de tudo, encontrar os problemas e reagir rapidamente a eles pode significar a continuidade do seu negócio.

Conforme o consultor em auditoria e controladoria Fábio Yamamoto, não há motivos para pensar em fechar a empresa no momento de abri-la. No entanto, é preciso ter estratégias para mudanças de rumo caso todo planejamento vá por água abaixo.

Segundo o especialista, o planejamento envolve pensar em alternativas para o que eventualmente vier a dar errado, e muitas vezes tanta coisa acaba dando errado, que é preciso se preparar para desistir totalmente do negócio e partir para outra. 

“Especialmente na cultura empresarial brasileira, reveses são vistos apenas como incompetência, o que pode ou não ser verdadeiro, mas insucessos, como “quebrar” uma empresa não tem somente aspectos negativos. Em muitos países o fracasso é visto como uma experiência positiva, pois acrescenta à experiência deste profissional uma lista de coisas que não se deve fazer “ diz Fábio. O especialista aponta três sinais de alerta para avaliar a continuidade da empresa:

Gera lucro ou caixa?
O consultor recomenda olhar para o último ano e verificar se a empresa está gerando caixa regulamente, sobra dinheiro? Se a resposta for não, talvez seja hora de rever se vale a pena dar continuidade ao negócio. É preciso estabelecer uma taxa de retorno para seu negócio, existem indicadores relativamente padronizados para determinados segmentos de negócio, contudo vale o exercício individual para estabelecer qual o retorno esperado daquela empresa.

Dívidas
Quão endividada está sua empresa? Não há uma regra fixa para medir o tamanho da dívida, mas se a empresa não gerar caixa suficiente para pagar seu endividamento é um sinal claro de que o negócio não vai bem. É importante ressaltar que dívidas da empresa devem ser pagas pelo caixa da empresa.

Insatisfação pessoal
Pode ser o momento de ‘passar o negócio adiante’ quando a insatisfação pessoal com o negócio por parte dos proprietários começa a interferir na empresa. Seja a insatisfação de ordem financeira, seja de dedicação de tempo, seja dos rumos que a empresa tomou. Aos poucos esse comportamento vai minando o negócio, a insatisfação acaba levando a falta de interesse ou empenho no dia a dia, o que certamente irá ocasionar a morte lenta do seu negócio.

Existem diversos outros fatores a serem levado em consideração antes de fechar uma empresa, mas se você não vê perspectivas de melhorar a rentabilidade, o endividamento já está prejudicando a atividade cotidiana e você começa a ser afetado diretamente com o seu patrimônio pessoal sendo colocado em risco. Para o especialista esse é o momento para pensar em atualizar seu currículo ou pensar em um novo negócio.

Saúde financeira 

A empresária Márcia Rodrigues priorizou a mudança de endereço do seu negócio, Ananã Café, visando a saúde financeira da empresa.“A proprietária do ponto aumentou o aluguel, enquanto 30% dos espaços comerciais no Vieiralves estão desocupados. Com essa situação, imaginava que seria possível negociar uma redução.  A decisão de mudar de local é financeira, pois não temos condições. A empresa precisa se pagar , então é preciso dá um passo atrás para impulsionar”, afirmou.

Para Márcia, a mudança será positiva e é a oportunidade para atender os anseios da clientela e sanar imprevistos. O Café Ananã baseia-se no modelo de cooperação em que os insumos são adquiridos de pequenos comerciantes locais. Esta iniciativa permitiu a sócia Yasmim Rodrigues representar o Amazonas no Programa de Jovens Líderes das Américas (YLAI).

Publicidade
Publicidade