Publicidade
Cotidiano
FINANÇAS PESSOAIS

Confira as novas regras para despacho de bagagem e não seja pego de surpresa

Até junho, era possível viajar sem pagar a mais pela bagagem despachada, no entanto a regra mudou 30/07/2017 às 11:00 - Atualizado em 30/07/2017 às 14:51
Show malas
Além das novas taxas de cobrança para despacho de mala, a franquia da bagagem de mão passou de cinco para 10 quilos.
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

No aeroporto, sempre tem alguém carregando bagagem seja mala ou mochila. Até junho, era possível viajar sem pagar a mais pela bagagem despachada, no entanto a regra mudou. Determinação da Agência Nacional de Avião Civil (Anac) permiti as companhias áreas criar suas próprias regras e também os valores para os passageiros que desejam colocar a mala no bagageiro do avião. A mudança, pegou muita gente de surpresa justo na hora de embarcar.

“Em uma viagem a trabalho, a minha passagem de ida estava na tarifa Light (econômica) e precisei pagar R$60 para despachar a bagagem. A situação realmente me pegou de surpresa”, contou a propagandista Bruna Ferreira.   

Consumidor
A Anac anunciou em março que as novas regras para o setor podem beneficiar o consumidor com a criação de uma nova classe tarifária promocional, que ofereceria passagens mais baratas, mas que não incluem o direito a mala despachada. Já para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o desmembramento da cobrança da bagagem e da passagem visa dar mais lucro às empresas e não dar transparência.

A corretora de imóveis Elizângela Ferreira planeja viajar para São Paulo e pesquisa com frequência as cotações de passagens. “Eu não tenho visto nada de redução no preço, pelo contrário quando se escolhe a opção de despachar bagagem aumenta o valor”, disse.

A servidora pública Keyseane Silva também não identificou um preço diferenciado nas passagens e não vê com esperança as novas regras. “Eu acredito que não haverá uma redução no preço das passagens e caso isso aconteça será um valor irrisório. Não vejo o consumidor tendo um ganho que compense realmente”, pondera.

Alternativa

Se você vai viajar e não quer passar pelo perengue de pagar excesso de bagagem. A solução é pesar antes. Em algumas lojas, em Manaus é possível encontrar balanças de mala. “Sempre recomendamos para o cliente a balança de mala, pois é muito desagradável ser parado no check-in e o peso adicional (excesso de bagagem) sempre foi muito caro. Com as novas regras, desde de fevereiro a procura vem aumentando”, explica a supervisora de vendas Olga Rodrigues. 

A balança digital de mala pesa até 40 quilos e está custando R$59,90 nas Lojas Le Postiche.

Valor de despacho
Azul
O cliente pode incluir a bagagem de até 23kg por apenas R$30,00 pelo site, call center e aplicativo; e R$ 50,00 no aeroporto. Os clientes premium ganham 5 quilos extra (topázio), 10 quilos (safira) e 15 quilos (diamante).

Gol
Disponibilizará uma tarifa econômica, light, para quem não despachar bagagens. O passageiro terá que pagar R$30 pelo despacho, caso a compra da passagem seja pela internet, ou R$60 se solicitar pessoalmente no check-in de embarque.

Latam

O valor da primeira bagagem despachada será de R$ 30 para compras antecipadas. A segunda mala custará R$ 80. O passageiro que não quiser remeter malas, poderá utilizar a tarifa light e economizar até R$ 40. O excesso de peso vai custar entre R$ 120 e R$ 200.

Saiba Mais

A nova regra determina que, em voos domésticos, o cliente que perder o voo de ida tenha o de volta mantido. No entanto, para ter esse direito, o passageiro deve avisar sobre a impossibilidade de embarcar até a decolagem do voo de ida.A nova regra também proíbe a inclusão de serviços acessórios, como poltrona conforto, sem a solicitação do consumidor.

Publicidade
Publicidade