Publicidade
Cotidiano
RECESSO

Deputados antecipam sessão na ALE-AM e ganham feriadão de seis dias

Sessão plenária da próxima quarta (30), véspera do feriado de Corpus Christi, foi antecipada para segunda (28) e na sexta (1º) os deputados não têm reunião 27/05/2018 às 08:00 - Atualizado em 27/05/2018 às 09:20
Show show aug
De autoria do deputado Sabá Reis, a proposta de antecipação da sessão plenária foi apresentada na quarta-feira durante a aprovada pela maioria dos deputados
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Por conta do feriado de Corpus Christi na quinta-feira (31), deputados da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) decidiram antecipar a sessão plenária que seria realizada na quarta (30) para amanhã, segunda-feira (28). E assim emplacar um feriadão de cinco dias. Se incluir a segunda-feira, em que não há sessão, o recesso totalizará seis dias. 

Autor da propositura, o deputado Sabá Reis (PR) disse que a mudança foi apresentada na última quarta-feira durante a sessão de votação e aprovada pela maioria dos parlamentares presentes. 

“Entendo que não há prejuízo em antecipar. Otimiza, inclusive, para que os deputados se organizem e possam estar no plenário na segunda. Assim, alguns colegas podem programar viagens com um período mais extenso, principalmente, quem tem compromissos no interior”, pondera.

A assessoria do presidente da ALE-AM, David Almeida (PSB), informou que a apreciação das matérias legislativas e a votação ocorrerá na terça-feira. 

“Na segunda será utilizado o tempo do expediente para acertar as matérias que deverão ser apreciadas na terça”, afirmou Sabá Reis.

Para Luiz Castro (Rede), é necessário preservar e cumprir o cronograma de sessões plenárias da Casa Legislativa. O parlamentar se posicionou contrário à mudança e afirmou que não vê ganhos. “Eu vou continuar trabalhando normalmente na semana, respeitando o feriado. Se a Assembleia parar, eu continuo a minha agenda de trabalho. Quando antecipam, paciência. Eu já tinha agenda com audiência pública e outras ações para segunda e tive alterar”, frisou.

O deputado José Ricardo Lula (PT) não vê problema em antecipar a sessão e contou que irá aproveitar a quarta-feira para visitar unidades de saúde e escolas na capital. “Nos dias que não tem sessão, aproveito para fazer o trabalho de fiscalização dos serviços do Estado. Feriado mesmo é só na quinta-feira e nesse dia participarei de atividades religiosas. Nos demais dias, já tenho uma série de atividades com visitas programadas em Manaus”, contou.

Na opinião do deputado Adjuto Afonso (PDT), a mudança é vantajosa para os parlamentares que apresentam base no interior do Estado. “Alguns compreendem que há mais tempo para aproveitar e viajar na quarta para as bases. Eu particularmente vejo que não existe nenhum ganho. (A mudança) não contribui e nem influência nas votações. Eu questionei para manter os dias de sessão que já vinham acontecendo”, disse.

Saiba mais

As sessões ordinárias na Assembleia acontecem três vezes por semana, de terça a quinta-feira, contendo pequeno e grande expedientes. Na quarta-feira ocorre a ordem do dia com a apreciação de matérias legislativas.

Audiência

Audiência com o ex-secretário de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Gilberto de Deus, para falar sobre possíveis irregularidades em obras durante governos passados está prevista para amanhã (28), às 14h, no plenário Ruy Araújo.

Os deputados José Ricardo (PT), Alessandra Campêlo (MDB) e Luiz Castro (Rede) aprovaram na última terça-feira o requerimento na Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participação da ALE-AM convidando o ex-secretário.

Em novembro de 2015, o ex-titular da Seinfra rompeu com o então governador José Melo e denunciou diversas irregularidades em contratos da Secretaria. Segundo ele, umas das obras suspeitas era a Ponte do Pêra, em Coari – o contrato era de R$ 11 milhões e naquele ano teria sido pago R$ 9 milhões, mas apenas R$ 1,5 milhão foi executado.

Gilberto de Deus também denunciou o pagamento de R$ 26 milhões pela obra não realizada do monotrilho à empresa CR Almeida. O ex-secretário afirmou à época ter outras informações sobre contratos suspeitos na Seinfra, mas até hoje não teve a oportunidade de apresentar no âmbito do Poder Legislativo Estadual o relatório que afirmou possuir.

“A gente faz o convite e a possibilidade dele vir. Caso ele não comparecerá, lamentamos. Queremos é esclarecer essa situação e ouvir as informações dele. Ele (Gilberto) querer ser ouvido por todos os 24 deputados é um pouco ilusório. É a coisa mais rara ter esse número em sessão plenária ou audiência pública, a não ser na posse”, declarou Luiz Castro.

Publicidade
Publicidade