Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
BEM-ESTAR

Dores fortes na coluna, no pescoço e na cabeça têm solução simples, diz especialista

Mudar maneira de utilizar tecnologia pode dar fim ao incômodo. Alguns casos, porém, exigem tratamento extra



zVIDA0411-001R.jpg Maneira como sentamos, trabalhamos e estudamos pode trazer dores e até doenças mais graves
11/06/2017 às 05:00

Horas em frente ao computador ou debruçado sobre livros na mesa. Mensagens, games e redes sociais no celular. Não importa se o que prende a atenção é estudo, trabalho, ou entretenimento; todas essas atividades rotineiras costumam ter um ponto em comum quando se trata de atenção à saúde: são realizadas com má postura e, consequentemente, resultam em dores e até patologias mais graves.

“É extremamente importante estar sentado, utilizar smartphones e tablets corretamente. É errado sentar totalmente ‘jogado’ na cadeira. E quem fica com o pescoço totalmente para frente, olhando para baixo, é como se estivesse carregando uma criança de 27 quilos nos ombros”, alerta a representante no Amazonas da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna (ABRColuna), Rhanda Amim.



Quem enfrenta uma maratona de estudos para concursos públicos ou para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), inclusive, deve tomar ainda mais cuidado com a postura. De acordo com a fisioterapeuta especialista osteopatia, coluna vertebral e Reeducação Postural Global (RPG), sentar em uma posição incorreta pode atrapalhar a performance durante a preparação e até no momento de fazer as provas.

“Muitas horas sentado, debruçado sobre os livros, ou em frente ao computador, pode acarretar problemas na coluna, dores na dorsal e na lombar. As doenças mais comuns são lombalgia e cervicalgia. Com tantas dores, o desempenho é prejudicado”, ressalta Rhanda, ao revelar que dores de cabeça também podem surgir. Dor de cabeça tensional não adianta tratar somente com remédio, sem cuidar da coluna”, finaliza.

‘Peso’ da tecnologia

Atualmente, os principais “culpados” por problemas sérios na coluna são os tablets e os smartphones. A maneira como a pessoa segura um desses aparelhos pode acarretar em uma postura errada, com dores no pescoço, ombros e braços. Segundo Rhanda Amim, o mesmo ocorre com quem “segura” o telefone com a cabeça para ficar com as mãos livres durante a ligação — muito comum no trabalho.

“Quem fica com o pescoço totalmente para frente, olhando para baixo, é como se estivesse carregando uma criança de 27 quilos nos ombros. É preciso colocar o aparelho apoiado em uma postura onde não cansará os braços e que o pescoço fique reto o máximo possível. Isso também gera tensão no crânio. Quem fica no telefone, deve usar fones de ouvido ou viva voz”, explica a proprietária do Instituto Physio Vida.

Dicas para ter uma postura adequada, por Rhanda Amim, fisioterapeuta:

Sentado em frente ao computador, trabalhando ou estudando: 

- Pés devem ficar encostados no chão ou sobre um apoio;
- A coluna precisa estar bem amparada no encosto da cadeira; 
- Cotovelos sempre apoiados na mesa para digitar;
- Centro da tela na altura/direção do olhar.

Saiba mais na cartilha da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna (ABRColuna), aqui.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.