Publicidade
Cotidiano
SEGURO

DPVAT indenizou mais de 36 mil nos últimos dez anos no Amazonas, aponta dados

Os pagamentos, relacionados a ocorrências com motociclistas, ainda lideram no Amazonas. Somente até maio desse ano foram pagas mais de duas mil indenizações 08/07/2018 às 08:31
Show seguro agora
Maioria das indenizações é por invalidez, morte e despesas médicas para pedestres e motociclistas (Foto: Reprodução)
Izabel Guedes Manaus (AM)

Dados estatísticos divulgados pela seguradora responsável em gerir os pagamentos através do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores (DPVAT) no Brasil apontam que, nos últimos dez anos, foram pagas no Amazonas mais de 36 mil indenizações no período entre 2008 a 2017. A maioria  por consequência de invalidez, morte e despesas médicas para pedestres e motociclistas vítimas de acidentes de trânsito. Na estatística constam, também, informações sobre pagamentos a vitimados por acidentes com carros, caminhões e ônibus. Sejam eles os próprios condutores ou passageiros.

Os pagamentos, relacionados a ocorrências com motociclistas, ainda lideram no Amazonas. Somente até maio desse ano foram pagas mais de duas mil indenizações em todo o Estado, mais da metade por consequências de acidente com motociclistas. Em 2017, do total de 4.276 solicitações de seguro, 3.416 foram para vitimas de acidentes de moto.

Um dos casos foi o do vigilante Flaviano Araujo, 35. Ele sofreu um acidente de moto em outubro do ano passado e ficou com sequelas depois de ocorrido. Perdeu o movimento de parte dos membros inferiores após quebrar a perna esquerda e ficar sem poder trabalhar por pelo menos seis meses.

Ainda o homem conta que ficou com sequelas até hoje e que mesmo sendo um processo demorado, manter a documentação e o pagamento da taxa do DPVAT foi importante. “Eu tenho uma platina na perna que me impossibilita de varias coisas. Fiquei encostado de cadeira de rodas e tudo. O processo do recurso demora um pouco, pois eles fazem muitas exigências. Por isso é preciso manter tudo em dia. A gente nunca sabe quando vai precisar e de certa forma isso nos da algum respaldo”, conta. 

Além das motos, o caso de incidência com pedestres, tem liderado a lista de pagamentos. As ocorrências do tipo ocupam o segundo lugar no ranking de assistências em boa parte do Brasil. Em Manaus, somente de janeiro a maio desse ano, foram mais de 500 indenizações pagas entre casos de mortes, invalidez ou assistências médicas. Em 2017 mais de mil pessoas receberam a assistência financeira por consequências de atropelamentos.

Quem tem direito

O Seguro DPVAT, tem caráter social que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, seja motorista, passageiro ou pedestre. As coberturas são para três tipos de danos: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares (DAMS). No primeiro caso, os herdeiros legais da vítima podem dar entrada no seguro, nos demais, o próprio acidentado recebe o valor relacionado à sua situação.

Para todas as coberturas é necessário apresentar a documentação pessoal da vítima, Boletim de Ocorrência e documentos do veículo.

Total de mortes neste ano

Segundo dados  do Instituto Municipal de Engenharia de Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), de 1º de janeiro a 21 de junho deste ano foram registradas um total de 43 mortes por atropelamentos na capital amazonense.

As unidades da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) registraram, até a primeira semana de maio desse ano, mais de 5 mil atendimentos envolvendo vítimas de acidentes de trânsito.

Desse montante, um total de 4.411 registros foram de acidentes envolvendo motocicletas e 987 envolvendo carros.

Na temporada de 2017, a Susam atendeu 18.695 pacientes vítimas de acidentes com motocicletas e 12.351 com carros.

Ação de conscientização

Na semana passada, com a intenção de alertar motociclistas, Educadores e agentes de trânsito Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), fizeram uma ação educativa para conscientizar motoristas.

Publicidade
Publicidade