Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020
TENTATIVA

Dr. Rey vai a condomínio de Bolsonaro e se oferece para Ministério da Saúde

“Agora está nas mãos dele”, disse o cirurgião plástico e apresentador de TV brasileiro, que atua nos EUA, e protagonizou seis temporadas do reality show Dr. Hollywood



der-rey-bolsonaro_B7FADFEA-42B1-4024-9180-829382C23ECE.JPG Foto: Rodrigo Viga Gaier/Reuters
09/11/2018 às 11:23

O cirurgião plástico conhecido como Dr. Rey esteve nesta sexta-feira no condomínio do presidente eleito Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, para tentar um encontro com o futuro mandatário e disse que iria se colocar à disposição para assumir o Ministério da Saúde.

“Agora está nas mãos dele (Bolsonaro)”, disse o médico a jornalistas. Roberto Miguel Rey Júnior chegou ao condomínio na Barra da Tijuca de táxi e com uma bandeira do Brasil na mão, dizendo que ama “o Brasil e a mídia brasileira”.



A passagem dele pelo condomínio não durou mais de 20 minutos. Na saída, Dr. Rey não esclareceu sobre a investida.

Segundo pessoas próximas a Bolsonaro, Rey não foi recebido. No momento da vista dele ao condomínio, o presidente eleito estava reunido com embaixadores de Alemanha e Argentina.

Dr. Rey é um cirurgião plástico e apresentador de TV brasileiro, filho de pai de norte-americano, que atua nos EUA e protagonizou seis temporadas do reality show “Dr. Hollywood”, exibido no Brasil pela RedeTV!, no qual mostrava sua rotina e os procedimentos estéticos de seus pacientes. No início do ano, cogitou se lançar como candidato à Presidência, mas acabou se candidatando, sem sucesso, a deputado federal pelo PRB.

Rey defendeu, como médico e conhecedor do sistema de saúde dos EUA que disse ser, a extinção do Sistema Único de Saúde (SUS) e um maior acesso da população à rede privada, como o hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro passou por cirurgia após levar uma facada.

“Cogitam (que eu seja) ministro da Saúde. Estudei e trabalhei fora e conheço o sistema de saúde... quero que todo brasileiro tenha seguro privado”, disse.

Rey disse ainda que é amigo de Bolsonaro desde os tempos de que o presidente eleito era do PSC e levou um documento de alistamento às Forças Armadas brasileiras.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.