Publicidade
Cotidiano
Notícias

Eduardo Braga rebate críticas feitas por José Melo sobre as eleições de 2014

Na ALE-AM, governador afirmou que não fez armação para ganhar o pleito e o ministro, no Facebook, disse que o governador deveria prestar contas do mandato 02/02/2016 às 19:17
Show 1
Braga durante a leitura da Mensagem Governamental em 2008, quando era governador
acritica.com Manaus (AM)

O ministro Eduardo Braga (PMDB) quebrou o silêncio, na tarde desta terça-feira (2), e reagiu às referências indiretas feitas a ele pelo governador José Melo (Pros) durante a leitura da Mensagem Governamental na Assembleia Legislativa (ALE-AM) na manhã da segunda-feira (1º). Entre outras coisas, Melo disse que  nunca fez “armação para ganhar eleição” e listou algumas situações negativas atribuídas a Braga, sem mencionar o nome do ministro peemedebista.

Em sua página no Facebook, Eduardo Braga escreveu, às 18h, que o povo do Amazonas lhe "deu uma grande lição na eleição de 2014". "Às vezes, você, por ser muito direto, por defender com firmeza o que pensa e o que acredita, o outro pode enxergar uma coisa totalmente diferente. Pode achar que você está sendo arrogante. Porque o jeito que você fala é quase tão importante quanto o assunto que você está resolvendo. Aprendi e agradeço ao povo do Amazonas. Portanto, não estou aqui para dar lição de moral nem para bater boca com ninguém", publicou.

Ao citar o discurso de Melo, Braga disse que o governador "quis transformar o que deveria ser uma prestação de contas em disputa pessoal". Candidato derrotado nas eleições de 2014, Eduardo Braga é autor do processo que resultou na cassação de Melo e do vice-governador, Henrique Oliveira (SDD), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AM), por compra de votos.

"A eleição já terminou há mais de um ano. O senhor deveria ter aproveitado a oportunidade para mostrar o que fez. E não para um faz-de-conta, tentando esconder o que deixou de fazer. O amazonense não quer saber o que o senhor pensa ou não pensa de mim. Nem o que eu penso do senhor. O que o povo quer saber é o que o senhor fez por ele. Quer saber o que foi feito na saúde, na segurança, na criação de empregos e quais os benefícios que o seu governo realizou", prosseguiu Braga.

"Está na hora de trabalhar, senhor José Melo. Palanque só serve durante a eleição. Agora, é mostrar o que se fez. E, se não fez, é melhor pedir desculpas ao povo do que agredir e caluniar adversários", concluiu.

Na ALE-AM, José Melo disse que fez uma campanha eleitoral baseada em propostas. Em seguida, o chefe do Executivo elencou algumas ocasiões atribuídas a Braga. “Nunca levantei a minha mão para agredir um deficiente físico, nunca fiz isso [contra alguém] cujo pecado foi o de querer tirar uma foto,  Nunca fiz isso,  ao contrário,  eu e minha mulher sempre tivemos uma dedicação  enorme nesse campo sem nunca termos saído em nenhum meio de comunicação, porque é assim que sempre quisemos que fosse”, disse na ocasião.

Em 26 de julho de 2014, Braga foi acusado de agredir um fotógrafo amador durante carreata de campanha no município de Maraã, na região do Alto Solimões. O caso foi encaminhado pelo Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O governador afirmou ainda: “nunca mandei ninguém jogar ovo em candidato meu para simular uma agressão, nunca fiz isso”. Melo se referia ao ocorrido em 11 de setembro de 2012, durante eleição, quando a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), foi agredida com ovadas na entrada de uma TV local, onde participaria de um debate.

Publicidade
Publicidade