Quinta-feira, 09 de Julho de 2020
ECONOMIA

Efeito Covid-19: balança comercial do AM fecha com saldo negativo em abril

Crise sanitária também causou a diminuição das atividades no Polo Industrial de Manaus (PIM), o que levou à redução das importações em cerca de 21,79% na comparação com março de 2020



show_show_LYNXMPEB210K2_L_ADB5790F-B8AC-46DE-96E2-6DE93FCEA0D3.jpg Foto: Arquivo/A Crítica
29/05/2020 às 15:55

A Balança Comercial do Amazonas foi afetada, em abril, pela pandemia da Covid-19, que provocou o fechamento de fábricas fornecedoras de componentes em países da Ásia e Europa. A crise sanitária também causou a diminuição das atividades no Polo Industrial de Manaus (PIM), o que levou à redução das importações em cerca de 21,14%, na comparação com abril de 2019, e em 21,79%, na comparação com março de 2020.

As importações do Amazonas no mês passado totalizaram US$ 686,28 milhões, o equivalente a 5,91% de participação nas importações do Brasil.



A China se manteve como principal origem das importações do Amazonas, com o valor de US$ 301,05 milhões, o que representa a participação de 43,87% nas importações. Os Estados Unidos vêm em seguida, com US$ 65,81 milhões, o equivalente a 9,59% do total.

O principal produto importado da China foram Partes para Aparelhos de Radiodifusão e Gravação, com participação de 34,62% dos produtos importados desse país, enquanto dos Estados Unidos se destaca o Estireno, equivalente a 22,86% das transações oriundas desse país.

O saldo negativo da balança em abril de 2020 diminuiu 22,34%, na comparação com abril de 2019, e teve diminuição de 20,87%, em relação a março de 2020. Isso foi motivado pela redução das importações e das exportações.

Apenas as exportações cresceram na comparação com abril de 2019 (1,03%). Os valores exportados em abril de 2020 alcançaram a cifra de US$ 45,07 milhões.

Em abril, os principais destinos das exportações do Amazonas foram Venezuela e Colômbia, equivalentes a 40,15% do total. O principal produto exportado para a Venezuela foi o óleo de soja (US$ 3,30 milhões), o equivalente a 30,26% das exportações para aquele país. Para a Colômbia, o principal produto exportado foram Preparações Alimentícias (US$ 5,40 milhões), o que representou 75,37% das exportações para este país.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jório Veiga, é esperado que o desempenho da economia como um todo venha a ser comprometido com a crise global causada pela pandemia. “Ainda não temos como dimensionar os eventuais prejuízos, mas o Governo está atuando para dar suporte às empresas nesse momento, e assim garantir manutenção de empregos no mercado local”, disse o secretário.

Corrente de Comércio

Em abril, a participação do Amazonas na Corrente de Comércio do Brasil alcançou 2,44%. A Corrente de Comércio do Estado do Amazonas (soma das importações com as exportações) totalizou US$ 731,35 milhões.

Municípios do interior

Quanto aos municípios do interior, em abril de 2020, Presidente Figueiredo foi o maior exportador (US$ 5,58 milhões), e o principal destino foi a China, sendo Ferro-Ligas o principal produto. O segundo município que mais exportou foi Itacoatiara (US$ 884 mil), e teve como principal destino o Reino Unido, sendo Madeira Serrada o principal produto.

Nas importações, Tefé se destacou como maior importador (US$ 310,21 mil), tendo o Canadá como maior parceiro comercial e Geradores de Gás de Ar como principal item importado. Itacoatiara ficou em segundo lugar, com o valor de suas importações em US$ 62,48 mil, tendo a Suíça como principal local de origem de suas importações, e Bombas de Ar como produto adquirido.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.